|
A+ / A-

Portugal vai acolher "alguns" dos migrantes resgatados pelo navio Lifeline

26 jun, 2018 - 15:43

Ministério da Administração Interna ainda não sabe precisar quantos requerentes de asilo virão, assim que o navio humanitário atracar em Malta esta terça-feira.

A+ / A-

Portugal vai receber algumas das pessoas resgatadas no Mediterrâneo pelo navio humanitário Lifeline.

O navio, gerido por uma organização não-governamental alemã com o mesmo nome, passou os últimos seis dias em águas internacionais a aguardar autorização para atracar num porto europeu. Essa autorização chegou da parte de Malta ao início da tarde desta terça-feira, antecipando-se que acoste no país até ao final do dia.

No seguimento do acordo entre alguns Estados-membros disponíveis para acolher os 234 migrantes que seguem a bordo do Lifeline, o ministro da Administração Interna avançou no Parlamento que Portugal já manifestou disponibilidade para aceitar algumas dessas pessoas.

Na comissão de Assuntos Constitucionais, Eduardo Cabrita revelou que o Lifeline vai atracar esta noite em Malta e que os 234 migrantes serão distribuídos por vários países europeus, entre os quais se inclui Portugal.

"O Governo de Malta pediu-nos ajuda para poder acolher o navio Lifeline que está há algumas semanas a navegar no Mediterrâneo com centenas de pessoas a bordo. O Governo português entendeu, em acordo com alguns países europeus, que o navio aportaria esta noite em Malta e que os refugiados que estão a bordo serão redistribuídos por vários países, entre os quais Portugal."

Sobre quantas pessoas serão acolhidas, o ministro explicou que ainda não tem essa informação mas que o Governo português vai continuar em contacto com o Executivo maltês para se proceder a essa redistribuição.

"Ainda hoje de manhã falei várias vezes com o ministro do Interior de Malta. Neste momento estamos já a tratar dos procedimentos necessários para que um número [de pessoas] que ainda não posso determinar, para que alguns possam, dentro da solidariedade europeia, ser acolhidos em Portugal."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • FIlipe
    26 jun, 2018 évora 23:56
    Se cada político acolher na sua casa um ... acabam com a miséria lá ! Não queiram a ONU ou quem anda a mamar por esta conta irem lá aos países deles garantir estabilidade , se vão ver daqui a uns anos na Europa não se consegue ver um branco ...
  • Saavedra
    26 jun, 2018 Chamusca 16:19
    Muito bem!!!!!!