A+ / A-

Carlos Queiroz: “Amigos amigos, futeboladas à parte"

24 jun, 2018 - 16:46

Treinador do Irão diz que a sua equipa tem tudo a ganhar e os "bichos" de Portugal tudo a perder.
A+ / A-

O selecionador do Irão garante que vai tentar ganhar, apesar de Portugal ser um adversário muito difícil. Em conferência de imprensa, o português Carlos Queiroz reconhece que vai ser "um dia especial”.

“Amanhã é Portugal, com muitos amigos, mas como dizemos na nossa terra, amigos amigos, futeboladas à parte. Vamos tentar fazer o melhor. Cada um vai tentar ganhar o seu jogo porque essa é a nossa obrigação e por lealdade com os nossos adeptos e respeito ao futebol", referiu.

O técnico do Irão reforça que “é um privilégio e uma grande honra estar aqui hoje, sabendo que amanhã ainda estamos vivos a lutar pelos nossos sonhos. Estamos com esperança completa e compromisso total para tentar uma qualificação histórica para a segunda fase frente a Portugal que não só é um candidato poderoso a ganhar o Mundial mas também um dos favoritos”.

“Estamos prontos para competir neste jogo com honra e dignidade, sabendo que aprendemos lições contra Marrocos e Espanha. Só temos uma opção para sermos uma equipa melhor e ser melhores jogadores”, acresscenta.

Queirós diz que “vai ser mais difícil porque o Fernando [Santos] vem com os 'bichos' mais fortes. Estes podem morder a qualquer momento”.

"Não posso revelar o nosso plano de jogo. Se Espanha e Marrocos foram difíceis, Portugal é muito difícil. É o que esperamos. Não viemos cá para ter jogos fáceis. Nem em sonhos os meus jogadores sonhavam jogar contra Cristiano e contra os grandes jogadores de Portugal. Eles estão muito entusiasmados e vamos tentar fazer o melhor com a mesma atitude e concentração desde o primeiro minuto. Temos um sonho, lutamos por ele e não temos nada a perder. Portugal luta com obrigações e dever. Têm tudo a perder e nós não”.

O Portugal – Irão está marcado para segunda-feira, às 19h00. À equipa das quinas basta um empate para a qualificação.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • artur
    27 jun, 2018 Setúbal 14:25
    Esta gente do INEF/ISEF, mourinho, queiroz, entre outros, conheço muitos e bem, também lá tirei o curso de EF, têm o ego bem lá em cima. Como jogadores da bola nunca foram profissionais, mas o facto de tirarem um curso de Educação Física, no tempo deles dava-lhe estatuto e vaidade. Adoram futebol e quiseram-se impôr no meio através do canudo. Conseguiram, são treinadores de sucesso, ganham muito dinheiro ( um dos seus principais objectivos e legítimo), mas têm grandes lacunas nas relações pessoais, têm necessidade de gabar de tudo o que fazem, gostam muito de receber elogios, não suportam o êxito dos outros, acham que têm sempre razão e os seus próprios insucessos tem culpa alheia.... queiroz é um exemplo. Ele teria múltiplos orgasmos se o seu país, o Irão, ganhasse aos tugas, que ele tanto odeia!!