O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Número de desempregados inscritos cai para nível mais baixo em 16 anos

21 jun, 2018 - 12:19

No final de maio estavam registados nos centros de emprego pouco mais de 350 mil desempregados.
A+ / A-

O número de desempregados inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) continua em queda, apontam dados publicados esta quinta-feira por aquele organismo.

No espaço de um mês, passaram a estar inscritas nos centros de emprego menos 25,8 mil pessoas.

Há 16 anos que os centros de emprego não tinham tão poucos desempregados inscritos.

No final do mês de maio, estavam registados nos centros do IEFP de Norte a Sul pouco mais de 250 mil desempregados. É o valor mais baixo desde agosto de 2002.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo
    21 jun, 2018 Leiria 16:13
    É estranho. Os empregados também são menos. Os que beneficiam do RMG são mais. A profissão "tira cursos" pessoas enviadas pelo IEFP, são também mais ........Lindo País.
  • Sandro
    21 jun, 2018 Seara 12:52
    Dizeis vós muito bem, "desempregados inscritos"! Porque só estão inscritos os desempregados a receber subsídio de desemprego. Os outros por um motivo ou por outro acabam por ver a sua inscrição anulada, no entanto continuam desempregados. Já que os senhores deputados a maior parte do tempo andam a discutir o sexo dos anjos poderiam aproveitar para mandar mudar o nome dos centros de emprego para Centro de Desemprego. Porque se são centros de emprego só se for para os que lá trabalham! De resto um individuo que esteja à espera que consiga arranjar, já nem digo emprego, mas ao menos trabalho, bem pode esperar por morrer à fome!!