O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Sporting.

Bruno não se demite mas aceita AG de 23 de junho

14 jun, 2018 - 20:37

Presidente do Sporting deixa garantia e anuncia que o clube aceita e paga a assembleia-geral de 23 de junho.
A+ / A-

Bruno de Carvalho reforçou, esta quinta-feira, que não se demite da presidência do Sporting, voltando a não reconhecer qualquer autoridade à decisão de suspender a Direção, tomada pela Comissão de Fiscalização da Mesa da Assembleia-Geral do Sporting (MAG).

"Não nos demitimos. Não assumimos que a Comissão de Fiscalização tenha alguma legalidade e não achamos minimamente que Jaime Marta Soares seja presidente de mesa nenhuma", disparou, em conferência de imprensa realizada nos gabinetes da Direção da SAD do Sporting.

A AG de 23 que está "ferida de legalidade" mas que BdC aceita e paga

A tomada de posição de Bruno de Carvalho surge no dia em que o Tribunal da Comarca de Lisboa considerou ilegal a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral (MAG) nomeada pela Direção do Sporting, bem como as reuniões magnas marcadas para 17 de junho e 21 de julho.

Ora, esse cenário é amplamente desmentido pelo líder verde e branco.

"Esta decisão diz que não se faça a AG de 17 de junho e 21 de julho. Ponto. Nas alegações que fazem, vão buscar a argumentação da parte, porque não fomos ouvidos. O Tribunal não tornou nada ilegal. Não disseram que a Comissão Transitória que era ilegal. Zero. É mentira", prosseguiu, considerando também que a reunião magna de 23 de junho - a tal que Marta Soares garante que se irá realizar - também não está legalmente confirmada.

"Essa assembleia-geral está ferida de legalidade", considera Bruno de Carvalho, encarando a AG de dia 23 como uma espécie de "julgamento popular", já que nessa reunião magna será discutida a destituição de Bruno de Carvalho.

Ainda assim, fica a garantia de que, a contragosto, o líder leonino abre a porta, definitivamente, à marcação oficial da AG de dia 23. E o Sporting até já aceita pagar os custos da reunião magna. Bruno de Carvalho considera que os "superiores interesses" do Sporting não estão a ser acautelados mas justifica o recuo.

"Não reconhecemos Jaime Marta Soares como presidente da MAG, não reconhecemos a Comissão de Fiscalização, que eu chamo de pelotão de fuzilamento. Não reconhecemos a forma como foi convocada a AG de dia 23, porque está ferida de legalidade. Fomos expulsos de sócios e que não podemos participar na mesma porque não somos sócios a dia 23 mas vamos disponibilizar aos associados os serviços para que se permita que o ex-presidente da MAG e que se entitula ainda presidente venha amanhã conferir todas as formalidades, todos os votos que diz que tem e nós, aos sportinguistas, conferimos os meios necessários para que essa AG decorra. E inclusivmaente vamos dar ordem para que seja paga essa AG. Fazemos isto em nome dos sportinguistas e não em nome dos superiores interesses do Sporting. Andamos a 'brincar ao Sporting' com estas rescisões", argumentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge
    15 jun, 2018 Seixal 13:23
    A ser verdade o que o comentador João 15 jun, 2018 10:31 escreveu, começamos a perceber quais os motivos porque andam a instigar a comunicação social a crucificar o Bruno de Carvalho. Criou-se uma histeria coletiva na comunicação social contra a direção do sporting. Não há "joãos" que deem a cara na televisão, rádio, jornais, para explicar e desmascarar ao pormenor, o que realmente pretende a SAD do sporting? Não há nenhum jornalista desportivo, ou não, que contrarie o sistema sem medo de ser despedido, investigue e venha contar a verdade dos factos? Quando grande parte dos sócios estão com o presidente, deve haver alguém muito bem informado sobre o que foi aqui escrito pelo João.
  • Joao
    15 jun, 2018 10:33
    Com ou sem BdC, os media jamais largarão o Sporting pelo simples facto de o mercado de investidores e sponsors em Portugal não ser suficiente para financiar 3 clubes grandes mas apenas 2. Esta luta a q se assiste neste momento no q diz respeito ao Sporting, não tem nada a ver com o BdC mas tem sim com o propósito de asfixiar financeiramente o clube ou torna-lo dependente de investidores da SAD. Estão a tentar desesperadamente que o empréstimo obrigacionista de 60 milhões não se realize porque se ele se realizar, o Sporting pode continuar a sua reforma financeira reduzindo em 107 milhões a sua dívida. Para isso precisa de utilizar cerca de 44 milhões q os irá buscar ao tal empréstimo. O q acontece se o BdC conseguir isso? Duas coisas: a 1a é q a SAD aumentará a sua participação no numero de acções tornando o clube menos dependente de investidores tais como a Holdimo e outros entre eles o Ricciardi. Em 2° lugar aumentará consideravelmente a sua capacidade de recorrer à banca para se financiar por exemplo para a compra de atletas e treinadores de elite. Esta parte não interessa ao Benfica nem ao Porto já que, o q estes 2 clubes têm um passivo muito maior e portanto não conseguirão negociar as taxas a pagar pelos empréstimos de financiamento bancário iguais às do Sporting tornando as suas operações financeiras junto da banca mais caras e portanto tornando os jogadores a comprar também mais caros já q os custos de operação bancária serão mais elevados como eu disse anteriormente.
  • Joao
    15 jun, 2018 10:31
    Com ou sem BdC, os media jamais largarão o Sporting pelo simples facto de o mercado de investidores e sponsors em Portugal não ser suficiente para financiar 3 clubes grandes mas apenas 2. Esta luta a q se assiste neste momento no q diz respeito ao Sporting, não tem nada a ver com o BdC mas tem sim com o propósito de asfixiar financeiramente o clube ou torna-lo dependente de investidores da SAD. Estão a tentar desesperadamente que o empréstimo obrigacionista de 60 milhões não se realize porque se ele se realizar, o Sporting pode continuar a sua reforma financeira reduzindo em 107 milhões a sua dívida. Para isso precisa de utilizar cerca de 44 milhões q os irá buscar ao tal empréstimo. O q acontece se o BdC conseguir isso? Duas coisas: a 1a é q a SAD aumentará a sua participação no numero de acções tornando o clube menos dependente de investidores tais como a Holdimo e outros entre eles o Ricciardi. Em 2° lugar aumentará consideravelmente a sua capacidade de recorrer à banca para se financiar por exemplo para a compra de atletas e treinadores de elite. Esta parte não interessa ao Benfica nem ao Porto já que, o q estes 2 clubes têm um passivo muito maior e portanto não conseguirão negociar as taxas a pagar pelos empréstimos de financiamento bancário iguais às do Sporting tornando as suas operações financeiras junto da banca mais caras e portanto tornando os jogadores a comprar também mais caros já q os custos de operação bancária serão mais elevados como eu disse anteriormente. É isto q está em causa. Caso o BdC consiga o empréstimo obrigacionista e para isso precisa estar em funções, esvazia a influência da Holdimo e outros na SAD que é quem realiza as mais valias da compra e venda dos jogadores, por outro lado caso consiga pagar os 44 milhões com o dinheiro do empréstimo obrigacionista, o BdC reduzirá em 107 milhões o passivo do clube tornando-o muito competitivo nas negociações com a banca em futuros financiamentos. É isto q está em causa. O resto é fumo. Hoje o Sporting tem um activo em jogadores próximo dos 350 milhões daí ter havido este ataque. Os empresários, em ano de mundial, querem encher os bolsos mas esbarram na duração e clausulas de rescisão de contrato por parte dos jogadores A ideia foi dar-lhes motivos para poderem sair a custo zero arrasando o Sporting completamente. Não só não conseguir reduzir o passivo mas também perder a juntar aos 107 milhões de redução da dívida, 350 milhões da venda dos atletas. É isto q está em causa portanto interessa pintar o Bruno da pior maneira a ver se o tiram de lá porque ele não deixa assaltar o pote. ..