O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Sporting

Bruno de Carvalho. Os "valores mais altos" que se levantaram para Rafael Leão e as rescisões que vão pelo cano abaixo

14 jun, 2018 - 20:21

No último dia para apresentação de rescisões, três atletas enviaram as cartas para os serviços do emblema de Alvalade. Bruno de Carvalho mantém convicção de que todos perderão processos.
A+ / A-

Bruno de Carvalho continua convicto de que todas as rescisões de contrato apresentadas até agora por jogadores do Sporting vão acabar por penalizar apenas os atletas e não o emblema de Alvalade, questionando a honestidade do caso específico de Rafael Leão, o nono a rescindir.

Numa conferência de imprensa realizada nos gabinetes da Direção da SAD do Sporting - a Direção do clube está impedida de entrar em Alvalade, conforme a suspensão aplicada pela Comissão de Fiscalização da Mesa da Assembleia-Geral (MAG) -, o presidente verde e branco foi claro.

"Há nove jogadores que vão perder os processos com o Sporting. Não tenho dúvida nenhuma, temos os melhores advogados do mundo. Estão a apontar o dedo pelo que aconteceu na Academia a Bruno de Carvalho. É esta a mensagem que estão a passar, com tudo o que isso tem de calúnia e difamação. Tal como as consequências legais que isso tem", começou por disparar, concluindo que o rol de rescisões tem apenas "um fundamento".

"Não é o que aconteceu na Academia, não são os sonhos nem pesadelos. É dinheiro", rematou, associando a questão monetária, ainda que de forma indireta, ao processo de rescisão de Rafael Leão.

"Ontem tentei falar com o pai dele [Rafael Leão] e parece que outros valores falaram mais alto. Hoje, os valores foram ainda mais altos. A verdade é que Rafael Leão está esquecido daquilo que foi o depoimento dele [após ataque à Academia]", completou.

BdC anuncia negociações com "belíssimos jogadores"

Virando a página para um futuro que não contará com o "núcleo duro" do projeto de 2017/18, Bruno de Carvalho deixou uma garantia aos sócios e adeptos, que considera estarem a ser alvo de uma injusta "angústia".

"Estamos a negociar com belíssimos jogadores sem problemas absolutamente nenhuns. As pessoas falam daquilo que não sabem, está a ser incutido aos sportinguistas um espírito de angústia que não é justo e tudo tem um fundo: dinheiro e controlo da SAD", reforçou.

Rafael Leão, formado nas escolas leoninas, foi o terceiro do dia a enveredar pela rescisão, depois de Rúben Ribeiro e Rodrigo Battaglia, juntando-se aos nomes sonantes de Rui Patrício, Daniel Podence, William Carvalho, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Bas Dost.

Esta quinta-feira é a data limite para os jogadores enviarem as cartas de rescisão por justa causa. Conforme a lei, as rescisões têm de ser enviadas 30 dias após o incidente que motiva a decisão, neste caso as agressões a jogadores e equipa técnica, em Alcochete, a 15 de maio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.