O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Revista de Imprensa

Terramoto em Alvalade e "bomba" na Rússia

14 jun, 2018 - 09:15

Confira os títulos da imprensa desportiva desta quinta-feira.
A+ / A-

Os jornais desportivos desta quinta-feira dividem-se entre a crise no Sporting, com a suspensão a Bruno de Carvalho, e o arranque do Mundial 2018, com o despedimento de Lopetegui da seleção espanhola à cabeça.

"Em suspenso", dita a manchete do jornal "A Bola". Sporting encontra-se em "labirinto jurídico" que põe em causa o presente e o futuro. Comissão de fiscalização suspendeu Bruno com efeitos imediatos. O líder leonino falou em "golpada" e "fuzilamento" e garantiu que não acatará a decisão.

"Chamem a polícia", canta o "Record". Poder no Sporting decide-se na justiça. Comissão de gestão nomeada por Jaime Marta Soares entra em Alvalade a bem ou a mal. Bruno não aceita afastamento. Mais jogadores rescindem hoje - Rafael Leão pondera sair e Benfica está atento.

Nessa sequência, o jornal "O Jogo" anuncia que o Sporting deu "facada no pacto" de não agressão. Treinador de hóquei em patins abordou Hélder Nunes, do Porto, e propôs pagar cláusula de rescisão. Pinto da Costa pediu explicações a Bruno, que negou conhecimento e prometeu sanar o incidente. Diz "A Bola" que os dragões ponderam retaliar e que Bruno Fernandes, oriundo do Grande Porto, é o alvo mais apetecível.

Quem não se coíbe de "agredir" e está à espera de Bruno Fernandes, e de Gelson, é o Benfica. Plantel está dependente das respostas de ambos.

Por fim, "aí está o Mundial", festeja "A Bola". Lopetegui foi despedido a dois dias da estreia da Espanha, frente a Portugal. Anúncio do acordo com o Real foi "bomba" que provocou forte terramoto. Hierro foi o substituto. Manuel Fernandes espreita lugar, avança o "Record".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.