O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Sporting

Conheça os argumentos de Jaime Marta Soares para destituição de Bruno de Carvalho

13 jun, 2018 - 18:29

"Ratos", "crianças mimadas", "ovelhas" e muito mais. Confira o comunicado da demissionária Mesa da Assembleia Geral dos leões, que garante legitimidade da reunião magna de 23 de junho.
A+ / A-

Jaime Marta Soares, presidente demissionário da Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting enumerou, esta quarta-feira, os argumentos que, para o órgão, fundamentam a justa causa para destituição de Bruno de Carvalho e consequente revogação do mandato do Conselho Diretivo do clube, ao mesmo tempo em que reitera a legitimidade para a realização da assembleia geral de 23 de junho.

Os conflitos constantes, nos últimos meses, entre o presidente e a equipa de futebol, com Bruno de Carvalho a rotular os jogadores de "crianças mimadas", com uma "atuação belicista", bem como tudo o que se seguiu ao ataque de cerca de 50 encapuzados à Academia de Alcochete lideram o rol de argumentos da MAG. O corrente processo de rescisões de vários atletas da equipa principal de futebol também não é esquecido.

Para além do futebol, a Bruno de Carvalho são ainda apontados vários focos de tensão com órgãos sociais e sócios do Sporting. Nesse sentido, a MAG suporta-se nos estatutos do clube, aludindo a "situações em que se referiu de forma insultuosa a sócios do Sporting classificando-os de sportingados, ovelhas, ratos, entre outras expressões inaceitáveis".

Mas há mais. "O Conselho Directivo nomeou, de forma ilegítima, ilegal e em violação dos estatutos do Sporting Clube de Portugal uma Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral", adianta Jaime Marta Soares.

Ora, a MAG conclui que "o Conselho Diretivo tem vindo a delapidar de forma insustentável e teme-se que irreversível o património material e imaterial do Sporting Clube de Portugal".

Assembleia geral de 23 junho devidamente legitimada

Na sequência da suspensão de Bruno de Carvalho e da Direção, decretada pela Comissão de Fiscalização designada pela MAG, Jaime Marte Soares garante que tal não prejudica a realização da reunião magna agendada para 23 de junho.

"Os procedimentos disciplinares e as suspensões preventivas decretadas pelo órgão competente para o efeito não prejudicam, de forma alguma, a realização da Assembleia Geral já agendada e legitimamente convocada para o próximo dia 23 de junho de 2018, pelas 14h00, no Altice Arena", refere.

O presidente demissionário da MAG lembra que a reunião de 23 de junho "visa dar a palavra aos sócios sobre a deliberação com justa causa da revogação dos mandatos dos membros ainda em exercício do Conselho Diretivo do Sporting Clube de Portugal, em plena consciência e liberdade democrática".

O documento reitera que a referida reunião magna "é a única legítima, legal e estatutariamente convocada e que permite dar a palavra aos sócios do clube em sede e local próprios".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.