A+ / A-

​Google em Oeiras pode fazer regressar profissionais que emigraram

13 jun, 2018 - 15:52 • Cristina Branco

Setor académico e especialistas na área tecnológica sublinham benefícios para diplomados portugueses e para a economia do país com a instalação da nova unidade para formação e desenvolvimento de aplicações para Android.
A+ / A-

É com grande expectativa que sector académico e especialistas encaram o projecto piloto da Google em Portugal. Mais mil postos de trabalho serão criados com a nova unidade para formação e desenvolvimento de aplicações para o sistema operativo Android, a arrancar no final deste ano, em Oeiras.

O presidente do Instituto Politécnico do Porto acredita que este novo centro, "vai trazer benefícios para o desenvolvimento da área das tecnologias em Portugal e para a própria economia do país". Em declarações à Renascença, João Rocha acredita que esta unidade para formação e desenvolvimento do sistema operativo mais utilizado no mundo "valoriza o trabalho qualificado - e bem remunerado - em Portugal, numa área de valor acrescentado".

João Rocha considera ainda que o projeto "pode manter no país e fazer regressar profissionais que emigraram". O responsável adianta que começa a "ser sentida uma falta de diplomados que tem levado a um aumento dos salários para garantir que os funcionários se mantêm cá".

O presidente do IPP considera, ainda, que "notícias como esta colocam pressão nas instituições de ensino superior para assegurarem o número de profissionais necessário para dar resposta a este tipo de empresas, sob pena de termos dificuldade em atrair este tipo de multinacionais para o país".

Ideia idêntica é defendia por vários especialistas da área, ouvidos pela Renascença.

Pedro Tróia, director da PC Guia, publicação especializada na área das tecnologias, sublinha a importância desta entrada direta da Google em Portugal: "Não há nada como ter os responsáveis do sistema operativo Android a dar formação às pessoas que vão desenvolver aplicações e, quem sabe, até um pouco do próprio sistema operativo".

Tróia sublinha, ainda, que "Portugal já é um país muito bem cotado nas multinacionais desta área" e acredita que este projeto piloto da Google vai "contribuir para reforçar essa imagem que o país tem lá fora".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.