A+ / A-

Dionísio Castro: "Sportinguistas, impeçam Bruno de Carvalho de entrar nas instalações do clube"

12 jun, 2018 - 12:45

Antigo atleta e atual candidato à presidência do clube leonino faz, ainda, apelo a Luís Filipe Vieira para não se aproveitar do momento frágil do Sporting para contratar jogadores.
A+ / A-

Dionísio Castro, antigo atleta que anunciou disponibilidade para se candidatar à presidência do Sporting, faz um apelo a Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, que considera uma pessoa de bem, para não se aproveitar do momento frágil dos leões. O líder encarnado admitiu tentar contratar algum dos jogadores que rescindiram com o clube leonino.

“Não acredito que, neste momento, o presidente do SL Benfica possa tomar esta posição. Embora os jogadores já tenham rescindido e sejam, nesta altura, livres, não acredito que Luís Filipe Vieira queira aproveitar esse facto", refere, Dionísio Castro, em entrevista a Bola Branca.

O antigo atleta sublinha que Vieira "é um homem de palavra, de respeito" e que, acredita, "não se vai aproveitar da fragilidade do Sporting". Dionísio Castro salienta que o Sporting "está a ser comandado por algumas pessoas que querem, por vingança" pôr o clube na III Divisão.

"Nós não vamos permitir isso. Faço um apelo ao meu querido amigo Luís Filipe Vieira: por favor tenha calma porque nós ainda vamos a tempo de salvar o Sporting e o meu amigo não nos vai fazer essa desfeita", apela.

Apelo às claques

Dionísio Castro está desiludido com as claques do Sporting, porque considera que é necessária uma reação enérgica.

"Estou um pouco desiludo, para não dizer que estou totalmente desiludido, nomeadamente com as claques do Sporting. Apoiaram-me quando eu bati recordes do mundo, quando eu ganhei vários títulos pelo Sporting e, nessa altura, a família estava unida. Porque é que não nos unimos hoje e conseguimos fazer algo?", questiona Dionísio.

O antigo atleta sublinha que é "contra a violência", contudo, "tem de ser feito algo" que impeça Bruno de Carvalho e a sua direção de entrar nas instalações do Sporting e que lhes "dite o termo de trabalho" no clube.

"Nós temos que fazer alguma coisa. Sportinguistas, família sportinguista, vamos unir-nos. Vamos, se for preciso, fechar as portas do Estádio José de Alvalade e mais ninguém vai entrar. Nós é que vamos tomar conta do Sporting, porque o Sporting foi tomado de assalto por esses senhores e, como foi tomado de assalto, nós vamos fazer aquilo que não devíamos fazer, mas vamos tirá-los à força, porque só mesmo à força é que estes senhores conseguem sair”, considera, revoltado.

Número um ou dois

Quanto a um cenário de eleições, Dionísio Castro mantém a intenção de se candidatar à presidência do Sporting, embora admita ser número dois do outro candidato assumido, Frederico Varandas.

“Neste preciso momento, eu e Frederico Varandas somos as únicas candidaturas oficiais. É provável que apareça mais alguém mas, neste momento, se formos os dois sozinhos e se for preciso uma união para fazer face a tudo o que é preciso em prol do Sporting CP, estou preparado para isso. Não preciso de ser número um, nem número dois, preciso é que o Sporting Clube de Portugal vá para a frente", conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Marco Porto
    12 jun, 2018 Chelas 14:19
    Ó Donisio tem vergonha no que dizes. Estás a incitar à violencia.... facto a registar