O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Soubesse Errani e não teria recorrido. TAD aumenta pena da tenista em oito meses

11 jun, 2018 - 13:54

Sara Errani foi suspensa por dois, pela Federação Internacional de Ténis, por ter acusado positivo num controlo antidopagem. A Federação Italiana e a tenista recorreram para o Tribunal Arbitral do Desporto, que deliberou um aumento da pena para dez meses.
A+ / A-

Sara Errani está, por certo, arrependida de ter apresentado recurso, no Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), da suspensão de dois meses que lhe foi aplicada, pela Federação Internacional de Ténis (ITF), em 2017. O TAD analisou os argumentos apresentados e decidiu aumentar a pena de Errani, quintoplicando a pena, impondo uma suspensão de dez meses.

A tenista acusou letrozol, substância proibida, num controlo realizado em sua casa, a 16 Fevereiro de 2017. O resultados desportivos que conseguiu entre essa data e 7 de junho foram anulados e a italiana não competiu entre 3 de agosto e 2 de outubro do ano passado, cumprindo a punição que lhe foi aplicada.

Ficará, agora, suspensa até 8 de fevereiro de 2019, uma vez que o TAD desconta os dois meses já cumpridos.

Letrozol na comida preparada pela mãe

Errani não desmentiu a ingestão de letrozol, mas argumentou que tudo não passou de um acidente. A tenista alega que a substância é um dos componentes de um medicamente que a sua mãe toma e que, de alguma forma, foi parar a uma refeição por ela preparada.

O TAD concluiu que Errani não foi cuidadosa e determinou que a pena ajustada, que poderia ir de dois a 24 meses, seriam dez meses de suspensão. O tribunal anota, ainda, que alertou a tenista para o risco de anulação dos resultados, "a posteriori".

Sara Errani, atual número 72 do mundo, regressou aos "courts" a 9 de outubro de 2017. Conquistou o Open de Suzhou, na China, e já em 2018 venceu um torneio de 125 mil dólares, em Indian Wells, nos Estados Unidos. A antiga número cinco do mundo esteve a competir na Croácia, na semana passada, depois de ter caído logo na 1ª ronda de Roland Garros, frente à francesa Alize Cornet.

A italiana, de 31 anos, está impedida de competir até 8 de fevereiro de 2019.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.