A+ / A-
FC Porto

Pinto da Costa deixa Sérgio contratar sem exagerar

04 jun, 2018 - 19:49

O presidente do Porto lembra que o clube está sob a alçada do Fair-Play financeiro da UEFA, embora considere que essa situação não durará muito mais tempo.
A+ / A-

Pinto da Costa, presidente do FC Porto, dá carta branca ao treinador campeão, Sérgio Conceição, para contratações, mas sem excessos.

"Vamos contratar os jogadores que o treinador entender necessitar, desde que o possamos fazer dentro, naturalmente, de uma lógica de racionalidade", afirmou o líder portista, esta segunda-feira, à margem de operação financeira levada a cabo pelo clube, na Euronext Lisboa.

Pinto da Costa lembrou que o Porto é obrigado a equilíbrio financeiro, uma vez que está sob a alçada do Fair-Play financeiro da UEFA: "Há sempre um valor limite, não podemos gastar mais do que efetuamos em vendas. Sinceramente, acho que não é preciso gastar o que já se vendeu".

Ainda assim, o dirigente máximo dos azuis e brancos deixou indício positivo para o futuro. "Acredito que para o ano já não estejamos sob alçada da UEFA. Temos seguido o plano traçado com sucesso", realçou.

Relativamente à violência que tem marcado o futebol, nas últimas semanas, nomeadamente as agressões na Academia do Sporting, Pinto da Costa admitiu não estar preocupado com tais ocorrências:

"Houve sempre situações em todos os campos, em todos os setores. Tudo o que acontece no futebol leva a que algumas televisões façam horas suplementares pela noite dentro, para falar do assunto. Se não lhe dessem tanto tempo, passaria normalmente como passam casos bem mais importantes e de maiores consequências, noutras atividades. Portanto, não me preocupa. Não é um problema que me diga respeito. O que se passa nos outros clubes não me afeta nada no meu dia a dia".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.