A+ / A-

Chumbo mostra que sociedade “não está favorável” à legalização da eutanásia

30 mai, 2018 - 00:52 • Isabel Pacheco

Em entrevista à Renascença, a diretora do Instituto de Bioética da Universidade Católica considera imoral a hipótese de ver o tema da despenalização da eutanásia discutido já na próxima legislatura.
A+ / A-
ANA SOFIA CARVALHO - entrevista D29
ANA SOFIA CARVALHO - entrevista D29

O resultado da votação desta terça-feira, no Parlamento, mostra que Portugal não está preparado para a legalização da eutanásia, afirma a diretora do Instituto de Bioética da Universidade Católica, Ana Sofia Carvalho.

Em entrevista à Renascença, a catedrática argumenta que o equilíbrio na votação prova que a sociedade “não está favorável” à legalização da eutanásia.

“Num assunto destes haver uma distribuição de votos de uma forma tão igual só significa que não estamos preparados e que, tal como na Assembleia da República, a sociedade não está favorável a que se avance com projetos desta natureza”, defende.

Ana Sofia Carvalho, que também integra o Conselho de Ética para as Ciências da Vida, manifesta satisfação pelo chumbo à eutanásia e fala num “enorme alívio”.

A diretora do Instituto de Bioética da Universidade Católica considera imoral a hipótese de ver o tema da despenalização da eutanásia discutido já na próxima legislatura.

O essencial do debate que chumbou a legalização da eutanásia
O essencial do debate que chumbou a legalização da eutanásia

As quatro propostas apresentadas no Parlamento para despenalizar a eutanásia em Portugal foram chumbadas esta terça-feira por uma maioria dos deputados.

Um total de 229 deputados foram chamados a votar a favor, contra ou a absterem-se sobre quatro projetos de lei, apresentados pelo PS, o BE, o PEV e o PAN.

Cada deputado votou nominalmente em cada uma das propostas, à exceção do único legislador ausente, o parlamentar Rui Silva, do PSD, que se encontra no estrangeiro.

Os dois maiores partidos, PS e PSD, que somam 175 dos 230 assentos parlamentares, deram liberdade de voto aos seus deputados.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo Y
    04 jun, 2018 Lisboa 21:42
    Excelente artigo. Pena os que que defendem a eutanásia quererem impor a sua vontade aos que são contra a eutanásia. Como podem dizer que o interesse português era a defesa da eutanásia se há portugueses que são contra? Por ventura não vivemos numa democracia? Só há democracia quando a esquerda está no governo? Deviam ir para a Cuba ou para a Coreia do Norte que lá de certeza que podem mandar os vossos inimigos para serem fuzilados.
  • Anónimo
    30 mai, 2018 21:19
    "AO ANONIM" = spammer profissional
  • P/RR
    30 mai, 2018 além mar 15:14
    Ah, tinha-me esquecido de olhar para quem está no ar. É que esta sr. nunca publica os meus comentários, se calhar só vai publicar este, já estou a ver que o outro foi para o lixo.
  • Ao anonim
    30 mai, 2018 dequalquerlado 15:01
    Três partidos que votaram contra os interesses do povo, ou votaram contra o teu interesse e daqueles que são iguais a ti? Para ti os interesses do povo passa por levar aqueles que possam a ser fardo para os outros serem mortos? Quando alguém estiver mal com o mundo e que deseje a eutanásia, sempre pode ter esta liberdade de o fazer. Mas o faça sozinho, por sua iniciativa, não queira, ou pode achar que tenha o direito que querer envolver terceiros. quem és tu para poderes falar aquilo que achas que está certo, quando só vês o que queres ver, independentemente das consequência negativas que isto possa trazer. Qualquer dia, alguém que não queira tomar conta dos seus, é fácil faz-lhes a lavagem cerebral e aí passa a ser tudo legal conforme a lei. Ou mata-se todos os que não contribuem para uma sociedade são e produtiva. O Hitler também fez isto. Ou será que andas a querer imitá-lo? Já há hoje em dia meios de aliviar a dor, como a medicina está sempre em evolução, o que pode estar em causa é esta falta de meios. O problema deste país é a corrupção e sermos europeus para estarmos no cu da europa e sermos pedintes ,pobrezinhos e dependentes...E isto é democracia, para duzentos deputados decidirem sobre a vida de uma população? Repito, se queres tanto esta liberdade, quando pretenderes a eutanásia fá-lo tu sozinho. Este assunto é muito complexo para a tua limitação de inteligência.
  • Populus
    30 mai, 2018 lisboa 10:00
    A EUTANASIA é um prolongamento das FP 25.ETA.IRA.brigadas vermelhas,Lenine,Staline,POL POT etc que para atingir os fins optam pelo extermínio dos opositores de forma sistémica.O inimigo aqui são os q gastam mto dinheiro na saúde e é preciso abatê-los a todo o custo impondo novamente a PENA DE MORTE para os doentes e não para os criminosos q enchem as cadeias e tb gastam demasiados recursos ao ESTADO ,mas com estes atores lá chegaremos.
  • Anónimo
    30 mai, 2018 03:14
    Ai mostra? Por acaso houve um referendo? Não! O que houve foi três partidos reaccionários, PCP, PSD e CDS, que votaram contra os interesses do povo português! Do PSD e do CDS já se espera, agora do PCP? Conheço muita boa gente que nunca mais vai votar neles.