O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Manuel Alegre pede maioria absoluta e convergência à esquerda

26 mai, 2018 - 17:16 • Raul Santos

"O PS é de esquerda, não é da ala esquerda do neoliberalismo", proclamou o poeta e histórico do PS, que elogia Costa e Centeno.
A+ / A-

O histórico dirigente socialista Manuel Alegre defendeu, perante o congresso do PS, que o partido deve pedir maioria absoluta nas próximas eleições, mantendo, contudo, a convergência de esquerda.

Para Manuel Alegre, uma viragem à direita representaria "um risco de morte" para o PS,

"A esquerda governa melhor do que a direita", considerou, argumentando que "a terceira via foi um desastre para a democracia e para o socialismo" e o PS é uma excepção na Europa.

"O PS é de esquerda, não é da ala esquerda do neoliberalismo", apontou, garantindo que o PS estaria "a definhar com outros partidos socialistas europeus" se tivesse permitido a constituição de um governo PSD/CDS.

No elogio à governação dos últimos quase três anos, Manuel Alegre proclamou que o PS sabe governar "melhor do que a direita".

"Nós sabemos fazer contas e fazemos contas melhor do que a direita. E foi por isso que a palavra 'geringonça' foi traduzida em várias línguas. foi por isso que Centeno foi escolhido para o Eurogrupo", disse.

"Ó Costa, aguenta lá o SNS"

Manuel Alegre terminou a intervenção com a revelação de um apelo deixado, há uma semana, por António Arnaud em conversa com o primeiro-ministro e secretário-geral do partido.

"Ó Costa, aguenta lá o SNS", citou Manuel Alegre, deixando explícito que o apelo também é seu.

Antes, Alegre abrira o seu discurso com uma declaração em defesa da legalização da eutanásia: "Estou com aqueles que na próxima semana vão votar favoravalmente a despenalização da eutanásia."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    28 mai, 2018 Viseu 12:26
    Henrique Raposo, expresso diário 7-5-2018: «Esta é a cultura tribal do PS. O socialista típico vê-se como alguém especial, como alguém que tem uma superioridade moral intrínseca; vê-se, aliás, como o próprio dono do regime. Naquela cabeça, o regime é o PS e o PS é o regime e, portanto, um ataque ao PS é um ataque à democracia. O PS não é aqui muito diferente do PCP: o partido é uma extensão quase familiar ou pessoal do “camarada”. É por isso que o “camarada” do PS vê a prisão de Sócrates como uma humilhação pessoal; é como perder um filho para a droga. Mas a droga central desta história é mesmo a presunção de superioridade moral deste partido».
  • 28 mai, 2018 algures 09:20
    O PS não é de esquerda.....e nunca deve ter uma maioria absoluta,nem o PS nem o PSD ou o CDS......trabalhem em conjunto com as ideias de outos,para uma melhor governação.
  • Anónimo
    27 mai, 2018 13:57
    Maioria absoluta mas de PS e Bloco, não só de PS! Todos sabemos o que aconteceu quando o PS teve maioria absoluta sozinho! Sócrates nunca mais!
  • tui
    27 mai, 2018 lisboa 13:33
    Foi talvez a ultima intervenção deste militante,falta de acutilância , dinamismo,postura e agressividade fazem pensar em fim próximo.Foi um dos pais da plataforma de esquerda há uns anos atrás,concretizada agora c Costa
  • jyro
    27 mai, 2018 lisboa 12:49
    Maiorias absolutas são uma maior ditadura do q a q existe. Os eleitores devem nunca atribuir maiorias a ninguém.As únicas conseguidas foram a AD,Cavaco e Sócrates.Outras maiorias parlamentares foram derrubadas no parlamento ou pelo PR-Jorge SAMPAIO derrubou Santana q teve como consequencia maior bancarrota do PAís em toda a sua história milenar.O PS sabe de bancarrotas ,cuidado portanto c o ilusionismo do PS.
  • rico
    27 mai, 2018 lisboa 12:39
    Quem realmente governa PORTUGAL é BRUXELAS e não o PS,BE,PCP.O governo com pouco tem que preocupar-se e quando legislija no espaço não coberto por BRUXELAS só faz asneiras.Todas as deliberaçoes de fundo passam por BRUXELAS tudo o resto é pura demagogia e gincana politica.