A+ / A-

Diocese da Guarda quer cuidar mais da imagem e comunicação

23 mai, 2018 - 20:27

D. Manuel Felício não tem dúvidas de que o caminho da diocese da Guarda tem que passar por uma boa estratégia de comunicação e anuncia um novo site.
A+ / A-

A Diocese da Guarda anuncia a criação para breve de um novo website, mais atualizado e próximo da população. D. Manuel D. Felício está preocupado com a comunicação na diocese, que assume poder vir a ser mais cuidada. O tema foi debatido esta quarta-feira no âmbito do Dia do Clero.

No seminário da Guarda, os sacerdotes da diocese reuniram-se no Dia do Clero para debater algumas temáticas que urge repensar.

D. Manuel Felício não tem dúvidas de que o caminho da diocese da Guarda tem que passar por uma boa estratégia de comunicação.

“Um dos pontos em que se assistiu hoje, foi melhorar a imagem que damos de nós próprios, além disso temos uma recomendação da assembleia diocesana, para reformular o nosso site. Comunicar tem que ser um trabalho não apenas de um profissional de comunicação, mas de todos nós, de estarmos atentos e vermos o que é importante”, considera o prelado, acrescentando que “quem não cuida da sua imagem, corre o risco de não passar o que é mais importante da sua instituição ou projeto.”

E se quem não é visto não é lembrado, D. Manuel Felício quer um site da diocese da Guarda que seja espelho de todos.

“Gostava de um site mais atualizado, mais atento aos acontecimentos, com um ‘look’ mais atrativo e que sobretudo seja mais espelho de toda a diocese e não apenas de alguns lugares, mais completo em termos dos assuntos que são lá tratados, porque um site é sempre um espelho da instituição, tem que ser um espelho mais fiel”, sublinha.

No Dia do Clero os sacerdotes debateram ainda a estratégia a desenvolver para aplicar a lei europeia de proteção de dados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.