A+ / A-

Reitor da Fernando Pessoa condenado com pena suspensa

18 mai, 2018 - 16:38

A condenação é por crime de infidelidade, por ter desviado mais de dois milhões de euros da universidade em benefício próprio e da sua família.
A+ / A-

O reitor da Universidade Fernando Pessoa (UFP), Salvato Trigo, foi condenado, esta sexta-feira, a um ano e três meses de prisão, pena que ficou suspensa por igual período.

A condenação respeita ao crime de infidelidade, por ter desviado mais de dois milhões de euros da UFP em benefício próprio e da sua família.

O julgamento arrancou em Outubro de 2017 e decorreu à porta fechada. Salvato Trigo era o único arguido no processo.

De acordo com a acusação, o reitor montou vários esquemas para fazer sair elevadas quantias da fundação que detém a universidade. O dinheiro seria, depois, canalizado para uma empresa cujos sócios são a mulher e os dois filhos.

No final dos anos 90, Salvato Trigo já tinha sido condenado a dez meses de prisão, suspensos na sua execução, num processo que envolvia o desvio de subsídios do Fundo Social Europeu, quando era diretor da Escola Superior de Jornalismo do Porto.

A 29 de janeiro deste ano, o reitor enviou uma mensagem por correio eletrónico aos professores, alunos e funcionários daquela universidade a informar que era “falso” ter desviado fundos ou cometido qualquer outro crime. Na mensagem, Salvato Trigo lamentou que o Ministério Público tenha acreditado em denúncias de um ex-técnico Oficial de Contas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.