O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Turistas chineses gastaram 130 milhões de euros em Portugal em 2017

18 mai, 2018 - 07:29

Mais de 250 mil chineses visitaram o país no ano passado.
A+ / A-

Os turistas chineses gastaram 130 milhões de euros em Portugal, no ano passado, um crescimento homólogo de 40%, que está a despertar a atenção dos retalhistas portugueses.

O aumento dos gastos é proporcional ao aumento do número de visitantes chineses. Em 2017, o número de chineses que visitaram Portugal cresceu 40,7%, para 256.735, segundo dados das autoridades portuguesas, que atribuem o aumento à abertura da ligação aérea direta entre a China e Portugal.

Nos primeiros seis meses desde a inauguração do voo, em 26 de julho passado, a taxa de ocupação foi superior a 80%, segundo fonte da companhia aérea chinesa Capital Airlines, responsável pela ligação aérea.

"O turista chinês, para além da cultura, património e gastronomia, valoriza bastante a experiência do 'shopping'", disse à agência Lusa Luís Filipe Silva, vogal do conselho diretivo do Turismo de Portugal.

Chineses têm "apetência para compras"

Filipe Silva falava à margem da feira de turismo ITB China, que contou com quase 20 participantes de Portugal. "É um mercado que estamos muito apostados em conquistar", afirmou José Igreja, responsável pela promoção externa de turismo para o Freeport. "Os chineses são dos turistas com mais apetências para compras", observou.

No caso do Freeport Lisboa Fashion Outlet, os chineses são já os terceiros maiores clientes, a seguir aos brasileiros e aos angolanos, levando a organização a adaptar-se para dar resposta. "Temos atualmente funcionários que falam chinês e fomos os primeiros a disponibilizar pagamentos através do Unionpay [empresa chinesa líder em sistemas de pagamentos eletrónicos]", explicou José Igreja.

A China é já o maior emissor mundial de turistas e, segundo dados do Governo chinês, 129 milhões de chineses viajaram para o estrangeiro em 2017, mais 5,7% do que no ano anterior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.