O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Bruno de Carvalho vai processar Ferro Rodrigues, comentadores e jornalistas

17 mai, 2018 - 09:01

O presidente do Sporting vai mover um processo contra políticos, comentadores e jornalistas por o terem “difamado e caluniado”. Ferro Rodrigues recusa comentar.
A+ / A-

O presidente do Sporting vai mover um processo contra o Presidente da Assembleia da República, comentadores e jornalistas por o terem “difamado e caluniado”, após os atos de violência em Alcochete.

“Não posso aceitar que a segunda figura do Estado tenha sido mais taxativo e belicista, fazendo-me uma crítica violentíssima, não tendo a mínima noção do cargo que ocupa e da sua condição de sócio do Sporting Clube de Portugal. Será por isso um dos primeiros visados nas ações cíveis que vou mover, até pela posição relevante que ocupa na sociedade”, escreve Bruno de Carvalho, numa nota enviada à agência Lusa.

Contactada pela Lusa, a assessoria de Ferro Rodrigues respondeu que o presidente da AR "não tem nada a dizer" sobre as declarações de hoje de Bruno de Carvalho.

Negando qualquer responsabilidade no“ato hediondo” cometido na terça-feira na academia do clube, Bruno de Carvalho critica também a posição do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O presidente leonino acusa o chefe de Estado de "não ter sido taxativo" a confirmar a presença no estádio do Jamor, para a final da Taça de Portugal, uma manobra que disse lamentar e lhe permite apenas fazer "duas leituras". Em primeiro, que o chefe de Estado "lhe está a imputar responsabilidades, (...) deixando instalar a dúvida”. Em segundo, que Marcelo Rebelo de Sousa está “disponível para aceitar que um grupo de marginais ponha em causa a realização de um evento relevante e que se ache no direito de acreditar que influencia as suas decisões".

Na quarta-feira, o Presidente da República disse sentir-se “vexado” com os incidentes e questionado sobre se vai no domingo à final da Taça de Portugal, no Jamor, Marcelo respondeu apenas: "para já não quero dizer mais nada".

Contra todos os que o têm difamado - políticos, jornalistas e comentadores - Bruno de Carvalho garantiu que vai "mover ações cíveis". As ações estender-se-ão a figuras públicas como Daniel Sampaio, José Maria Ricciardi ou Rogério Alves, os quais afirmaram que Bruno de Carvalho "não tinha condições de continuar a exercer o cargo", acrescentou.

Bruno de Carvalho não se demite

O presidente do clube de Alvalade classificou como “terroristas” os atos cometidos na terça-feira e queixou-se do linchamento público de que tem sido alvo. “Nunca tive qualquer tipo de ação que fosse geradora de violência como se comprova (…) pelos cinco anos [na presidência do Sporting] sem qualquer incidente. Lamento, por isso, que me estejam a ser imputadas responsabilidades, diretas ou indiretas, morais ou materiais desse ato absolutamente hediondo”.

Quanto ao cargo, o presidente do Sporting não deixou dúvidas: não se demite. "Neste momento, sinto-me com a mesma capacidade, força, prazer e honra em servir o clube que amo, não vendo qualquer motivo enquanto sportinguista para me afastar de um trabalho e de um rumo que está a ser seguido com sucesso nestes cinco anos".

Bruno de Carvalho concluiu a nota com "três desejos": "que quem cometeu este ato terrorista seja severamente punido, que quem cometeu atos 'criminosos' contra mim seja punido e que o Sporting Clube de Portugal consiga conquistar a 17.ª Taça de Portugal".

[notícia atualizada às 10h30 com posição do Presidente da Assembleia da República]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Piedade
    17 mai, 2018 Almada 13:22
    Que tristeza! Este homem é um louco. Como louco que é, tem de ser internado compulsivamente, para ser tratado. A ser verdade que os jogadores pensam pedir a rescisão por justa causa, caso o presidente continue, e a provarem-se verdadeiras as suspeitas de corrupção, este pode ser o fim de um clube honrado até há pouco tempo. Não sou adepta de futebol, a minha"praia" são os automóveis, mas não consigo não me revoltar com o que este homem tem feito no Sporting. Ele não percebe que as estrelas do clube são os jogadores e o treinador, não o presidente. Quando ouvi a voz deste homem pela primeira vez, disse que ele tinha voz de gangster. Hoje, acho que é mesmo isso que ele é.Não sou ingénua, os outros clubes, pelo menos os grandes, também têm telhados de vidro, mas nunca os seus presidentes atacaram os activos. Quanto aos processos movidos, é simplesmente ridículo e, provavelmente, não passam de ameaças.
  • zita
    17 mai, 2018 lisboa 11:44
    Bom! Este sujeito deve ser internado e levado em colete de forças. Eu acho que quando ele pagar do seu próprio bolso as ações em tribunal vai perceber que não pode processar tudo o que mexe, por último e não menos importante "que estranha forma de amar" o Sporting que ele tem .
  • VICTOR MARQUES
    17 mai, 2018 Matosinhos 11:39
    E, se lhe der na gana, candidatar-se-à a Presidente da República!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!.............................
  • 17 mai, 2018 11:26
    Deixem la "que se o bruno de carvalho nao tem capacidade para continuar no sporting ferro rodrigues tambem nao tem capacidade para estar na assembleia da republica estao empatados zero a zero!
  • Helena Matos
    17 mai, 2018 Coimbra 10:57
    Esta personagem não sabe (ou finge q nao sabe) interpretar. Ferro Rodrigues não disse que bruno de carvalho era o mandante ou q tinha ficado satisfeito com a desgraça de Alcochete. O q o PAR disse é que há dirigentes q, inflamando o discurso e nao se demarcando ou até repudiando comportamentos como os da Juve Leo com o triste espetáculo das tochas na luz ou com as ameaças aos jogadores e técnicos na Madeira, levam a atitudes irracionais por parte de outros. E aí, por mais q bruno pule e salte, não pode negar. Agora deu-lhe para se queixar. Com tudo a arder, nao lhe ocorre fazer mais nada, imagine-se!
  • José Joaquim Cruz Pinto
    17 mai, 2018 Ílhavo 09:45
    Por que é que ele não me vem também processar a mim, que penso e já disse bem pior ?