O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Juve Leo lamenta agressões e rejeita responsabilidades

16 mai, 2018 - 08:32

Em comunicado, a claque sportinguista diz não se rever nos atos praticados na Academia de Alcochete. Jesus cancela treino.
A+ / A-

A Juve Leo considera “lamentáveis os factos ocorridos na Academia do Sporting Clube de Portugal”.

“A Juventude Leonina lamenta profundamente o ocorrido e não se pode rever nos atos praticados contra o Sporting Clube de Portugal”, lê-se no comunicado publicado esta quarta-feira de manhã na rede social Facebook.

Recordando que a claque sportinguista “é a mais antiga de Portugal” e “tem mais de 7 mil sócios”, a Juventude Leonina afirma que “merece total respeito” e não pode “admitir os ataques que têm sido feitos porque [nas imagens] aparece uma pessoa com camisola da claque”.

O comunicado termina com a mesma garantia que o presidente do clube deu na noite de terça-feira relativamente aos jogadores: “a Juventude Leonina estará presente em grande força no Jamor para ajudar a conquistar a 17ª Taça de Portugal”.

Na terça-feira, o treino do Sporting em Alcochete ficou marcado pela invasão de cerca de 50 hooligans, alguns com cara tapada, que começaram a espancar jogadores e equipa técnica.

Bas Dost foi espancado foi atingido na cabeça e nas pernas.

Bruno de Carvalho já disse que este é “um caso de polícia” e que vai “averiguar internamente o que é que aconteceu e o que podemos melhorar e não melhorar” no que respeita à segurança na Academia.

Até lá, deseja que os jogadores “estejam bem para ganharmos o troféu no Jamor”.

O Sporting cancelou o treino desta quarta-feira. A decisão surge na sequência do episódio de violência que aconteceu em Alcochete.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vermelhão
    16 mai, 2018 Évora 09:53
    Sendo uma claque legalizada, não tem nada que pedir desculpa. E tenho mesmo muitas dúvidas, que não tenham sido elementos da claque dos NN, a fazerem isto, porque essa claque é ilegal.