A+ / A-

ARCO Lisboa 2018 com mais galerias e um espaço para crianças

16 mai, 2018 - 06:36

É uma exposição “para conhecer um pouco as linguagens da arte contemporânea”, diz o diretor. Marcelo Rebelo de Sousa preside à inauguração.
A+ / A-

É inaugurada esta quarta-feira, a Cordoaria Nacional, a terceira edição da feira de arte ARCO Lisboa. As portas abrem na quinta-feira e, até domingo, será possível visitar há 72 galerias de 14 países.

“Temos mais 20% de galerias e só duas são portuguesas. As restantes são internacionais, outras importantes de Espanha, mas também galerias de Londres que não participam na ARCO Madrid e preferem vir a Lisboa”, afirma à Renascença o diretor da feira.

Carlos Urroz, um espanhol que já começa a falar português, diz que este é um evento não apenas para quem quer comprar arte, contando este ano também com um espaço para as crianças.

É para “toda a gente conhecer o que os artistas fizeram todo o ano, mas também para passear, para conhecer a arquitetura e trazer as suas famílias aos projetos e ateliers da Fundação Nariz Vermelho, no domingo”, além de “conhecer um pouco as linguagens da arte contemporânea”, refere.

Na opinião do diretor da ARCO Lisboa, “é muito importante” que a data desta feira conste do calendário internacional de feiras. “Já sabemos que em maio há a ARCO Lisboa. Se houver estabilidade, mais galerias, mais colecionadores, mais grupos vão organizar-se para vir a Lisboa visitar a ARCO Lisboa”, justifica.

A feira é inaugurada esta tarde pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Na quinta-feira, abre ao público entre as 14h00 e as 21h00.

No domingo, abre e fecha mais cedo: ao meio-dia e às 18h00, respetivamente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.