A+ / A-

Palestinianos da Cisjordânia e de Gaza convocados para "greve geral"

14 mai, 2018 - 15:04

Organização que integra a Autoridade Palestiniana quer mobilização nos territórios ocupados para "fazer o luto" pelos manifestantes mortos esta segunda-feira nos protestos contra mudança da embaixada norte-americana em Israel de Telavive para Jerusalém.
A+ / A-

A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) convocou esta segunda-feira uma greve geral para amanhã na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, em resposta às dezenas de mortos e milhares de feridos registados desde esta manhã nos dois territórios ocupados.

O balanço de mortos e feridos, que continua a subir desde as primeiras horas desta madrugada, surge no contexto de manifestações da população palestiniana contra arelocalização da embaixada dos Estados Unidos da América em Israel de Telavive para Jerusalém, cinco meses depois de Donald Trump, o Presidente norte-americano, ter anunciado que a cidade santa é a capital do Estado hebraico.

Esse anúncio gerou e continua a gerar críticas de grande parte da comunidade internacional, com a União Europeia e vários países a alertarem que os EUA "reconhecerem" Jerusalém como a capital do Estado de Israel vai enterrar todas as hipóteses de se alcançar um acordo de paz na região.

Por volta das 15h desta segunda-feira em Lisboa, o balanço de mortos no protesto que continua em curso na fronteira da Faixa de Gaza já rondava os 50, havendo mais de 1700 feridos.

A notícia da greve convocada pela OLP, uma organização que agrega vários partidos e movimentos políticos da Cisjordânia, foi avançada pela agência palestiniana Wafa e citada pela Reuters. A agência cita Wasel Abu Yousef, membro do comité executivo da OLP, a anunciar uma "greve geral" nos territórios palestinianos ocupados "para fazer o luto pelos mártires" que já perderam a vida no enclave desde esta madrugada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.