A+ / A-

Morreu fundador da CAP. Marcelo lembra o "lutador corajoso"

13 mai, 2018 - 17:54

Rosado Fernandes tinha 83 anos e foi vítima e doença prolongada.
A+ / A-

O antigo deputado do CDS e fundador da Confederação dos Agricultores Portugueses (CAP), Raul Miguel Rosado Fernandes, morreu em Lisboa, aos 83 anos, vítima de doença, disse à Lusa o ex-presidente da CAP João Machado.

"Infelizmente, é uma notícia triste, mas que era expectável", afirmou João Machado, indicando que Rosado Fernandes se encontrava hospitalizado.

Em nota publicada na página oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa "lamenta a morte do Professor Raul Miguel Rosado Fernandes", fundador e ex-presidente da CAP.

"O Professor Rosado Fernandes sempre foi um lutador corajoso e independente no associativismo agrícola, como deputado na Assembleia da República e no Parlamento Europeu, assim como na Universidade ou como produtor agrícola no Alentejo", refere a nota do Presidente da República, que endereça "sentidas condolências" à família e à direção da CAP.

O CDS lamenta morte de Rosado Fernandes considerando que o país “perde um académico brilhante e um político assertivo”.

“Neste luto, aproveitamos as palavras antigas, que ele traduziu do grego clássico, faladas por Péricles, e que tão bem se adequam a Raul Miguel Rosado Fernandes: cultivou ‘a beleza com simplicidade e o saber sem fraqueza’.”

Raul Miguel Rosado Fernandes nasceu a 11 de julho de 1934 em Lisboa.

Licenciado em Filologia Clássica, foi reitor da Universidade de Lisboa entre 1979 e 1982. Pelo CDS, foi deputado ao Parlamento Europeu (1995-1999) e eleito no parlamento português (1999-2001).

Autor de obras variadas sobre filologia, retórica, literatura grega, latina e portuguesa, com dezenas de publicações, também dedicou grande parte da sua atividade igualmente à defesa da agricultura portuguesa, tendo sido presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, eleito em 1993.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.