A+ / A-

​Caso Sócrates incendeia debate quinzenal

09 mai, 2018 - 16:13

PSD levou o tema para a discussão e o primeiro-ministro acusou os sociais-democratas de deslealdade.
A+ / A-

O PSD arrancou esta terça-feira o debate quinzenal com perguntas a António Costa sobre a estratégia do PS em relação a José Sócrates, recebendo do primeiro-ministro a resposta da separação de poderes e a acusação de "deslealdade institucional".

Esta é a primeira vez que o caso judicial que envolve o antigo primeiro-ministro do PS entra de forma direta num debate quinzenal no parlamento.

"Porque razão o PS demorou mais de 3 anos a demarcar-se de José Sócrates e do seu comportamento?", questionou o líder parlamentar do PSD Fernando Negrão, inquirindo se o PS "teve medo de ser contaminado eleitoralmente" com este tema.

Na resposta, António Costa acusou Negrão de "deslealdade institucional", uma vez que este é um debate com o primeiro-ministro e não com o secretário-geral do PS, dizendo que responderia na qualidade de cidadão.

"Relativamente ao caso do engenheiro José Sócrates, desde a primeira hora que disse que, não obstante, as relações de amizade, camaradagem, entendi que o PS se devia manter apartado desse debate e devia confiar no sistema de justiça", afirmou, assegurando que não mudou "em nada" a sua posição sobre a matéria de invocação do princípio da separação de poderes.

António Costa salientou ainda que, "desde o início", considerou que, se se vierem a comprovar os factos de que é acusado José Sócrates, "é uma desonra para a democracia".

"Se não se vierem a comprovar é a prova que o sistema de justiça funciona", disse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    09 mai, 2018 21:13
    Desde que sejam os debates quinzenais a incendiar e não as nossas florestas, não estou preocupado.
  • António dos Santos
    09 mai, 2018 20:39
    Será que estes pseudo-deputados, não têm mais nada que tratar, ou só sabem fazer leis que são uma aberração, que espelha a sua qualidade. Com isto, não quero dizer que estou de acordo com Sócrates.