A+ / A-

​Quer participar num rali fotográfico? É a proposta da World Press Photo

27 abr, 2018 - 08:42 • Maria João Costa

Exposição vai estar patente no Hub Criativo do Beato até 20 de maio.
A+ / A-
Reportagem da jornalista Maria João Costa com o fotojornalista da Visão Luis Barra
Reportagem da jornalista Maria João Costa com o fotojornalista da Visão Luis Barra

É um retrato do mundo, dos acontecimentos de 2017. Está de regresso a Lisboa a edição deste ano do World Press Photo, desta vez para ver no Hub Criativo do Beato, em Lisboa.

De quinta-feira a domingo, das 10h00 às 19h00, poderá ver o melhor do fotojornalismo e este ano vai poder, também, levar a sua máquina fotográfica e participar em "ralis" fotográficos com alguns dos melhores profissionais portugueses.

A programação complementar da exposição World Press Photo começa este sábado, às 16h00, no Hub Criativo do Beato onde poderá ver até 20 de maio o melhor do fotojornalismo mundial.

As fotografias

A fotografia mais conhecida da edição de 2017 e que venceu o prémio da World Press Photo foi tirada na Venezuela pelo fotojornalista Ronaldo Schemidt e mostra José Víctor Salazar Balza, um rapaz de 28 anos em chamas. É uma das imagens fortes e foi tirada há quase um ano nos protestos contra o presidente Nicolás Maduro.

Na exposição no Hub Criativo do Beato estão também as fotografias de Toby Mellville que registou os minutos a seguir ao atentado em Londres na ponte de Westminister quando um carro atropelou várias pessoas.

Mas há também momentos menos críticos e mais fáceis de olhar, como as fotografias da americana Ami Vital que captou alguns instantes num orfanado de elefantes no Quénia.

Carla Vlaun, a curadora da exposição destaca outra série da Anna Boyiazis. “Chama-se "Encontrar a liberdade na água" e mostra mulheres no norte de Zanzibar a aprenderem a nadar”. “A história é linda” sublinha Vlaun que aponta também “a estética das águas azuis claras de Zanzibar a contrastar com a areia branca e os biquínis amarelos”. “É uma imagem bonita", diz a curadora

O que há de novo na World Press Photo

O local da exposição é uma das novidades deste ano. O Hub Criativo do Beato é um espaço de um antigo complexo fabril do exército de Manutenção Militar, na zona ribeirinha oriental de Lisboa. É um local classificado e em vias de ser recuperado.

Entre antigas máquinas estão as imagens da World Press Photo e este ano com uma secção nova dedicada ao ambiente, mas a olhar para a forma como a mão humana interfere com o planeta.

Carla Vlaun diz que “na categoria Natureza muitos fotógrafos estavam a entregar imagens que mostravam o impacto humano na natureza” e por isso criaram “uma nova secção que inclui este tipo de histórias".

E é de histórias que se faz a World Press Photo. Cada fotografia contêm uma história, um episódio de 2017. A ideia da Fundação World Press Photo é precisamente desafiar o visitante a descobrir essas histórias. “A nossa missão é ligar as pessoas às histórias que interessam e esperar que as pessoas vejam as imagens e leiam as histórias por detrás destas fotografias”, indica Carla Vlaun, a curadora da World Press Photo

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.