A+ / A-
VISTO DE BRUXELAS

Brechas no eixo franco-alemão

20 abr, 2018 - 14:33

Esta semana, destaque para o apelo de Emmanuel Macron no Parlamento Europeu: a cerca de um ano das eleições europeias, o Presidente francês deixa duras críticas às tentações nacionalistas e aos populismos nalguns países da União Europeia.
A+ / A-
Visto de Bruxelas (25/04/2018)
Visto de Bruxelas (25/04/2018)

Macron que, esta semana, teve um encontro com Angela Merkel: os líderes do eixo franco-alemão dizem-se confiantes quanto às reformas prioritárias para a União Europeia. Mas a Chanceler alemã critica as ideias do Presidente francês em matéria de reforma da zona euro.

Em França, uma sondagem publicada esta semana pelo jornal “Les Echos” mostra um país dividido no apoio a Macron: por um lado, o Presidente é criticado pelas reformas no plano interno. Já a actuação do Presidente francês na cena internacional merece os aplausos da sociedade francesa. Macron que, esta semana, teve um encontro com a chanceler Angela Merkel, em Berlim.

Os líderes do eixo franco-alemão concordam na ideia de que a Europa só será bem sucedida se escolher as prioridades certas. E é aqui que surgem as primeiras divergências. Merkel critica os projectos de Macron para a reforma da zona euro. Mas há outros dossiers que dividem Merkel e Macron. Resta saber que influencia terão essas divergências na confiança dos cidadãos quanto ao projecto de integração.

Ofensiva aliada contra a Síria

De um lado, os ministros dos Negócios Estrangeiros apoiam a intervenção de Estados Unidos, França e Reino Unido. Do outro, Federica Mogherini, a chefe da Diplomacia da União Europeia apela à intervenção da Rússia e do Irão para influenciarem o regime sírio, para que possa ser encontrada uma solução política para o conflito.


Este conteúdo é feito no âmbito da parceria Renascença/Euranet Plus – Rede Europeia de Rádios. Veja todos os conteúdos Renascença/Euranet Plus

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.