|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Lisboa. “Há cada vez mais pessoas cujo modo de transporte é o telemóvel"

18 abr, 2018 - 09:36

O vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa esteve na Manhã da Renascença para comentar o lançamento de mais uma plataforma de “carsharing” na capital.

A+ / A-

Começa a funcionar esta quarta-feira, em Lisboa, um novo serviço de “carsharing” com a característica de ser 100% elétrico. Através de uma aplicação de telemóvel, o utilizador abre e fecha as viaturas e não paga até que comece a conduzir.

Na opinião do vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, o telemóvel é um instrumento que muito tem contribuído para o aumento de soluções alternativas ao transporte próprio na capital portuguesa.

“Há cada vez mais pessoas cujo modo de transporte é o telemóvel. Conseguem apanhar o táxi no telemóvel, uma bicicleta, uma mota, um carro e, quando fazemos inquéritos, sabemos que há uma grande aceitação das pessoas até aos 35 anos por estas formas de mobilidade. Também nas gerações mais velhas, mas até aos 35 anos é muito forte”, refere Miguel Gaspar na Manhã da Renascença.

No seu entender, “cada vez mais as pessoas consideram abdicar do segundo carro” e “usar estas formas de transporte, não só em si mesmo mas também como um complemento ao transporte público – ao metro, à Carris, à CP”.

Lisboa já conta com vários serviços de partilha de transporte, sejam carros, bicicletas ou motas. Esta quarta-feira, começa a operar o Emov, é o primeiro sistema de partilha de carros apenas com viaturas elétricas. O serviço conta com 150 veículos de quatro lugares espalhados pela cidade.

Lisboa passa assim a ser a segunda cidade europeia, a seguir a Madrid, a disponibilizar uma rede de carros partilhados 100% elétricos. O estacionamento é gratuito, tal como acontece com qualquer proprietário de um veículo elétrico.

“É uma forma de apoiarmos a descarbonização dos transportes e a redução do carbono na cidade”, sustenta o vereador Miguel Gaspar.

A área coberta inclui as imediações do Aeroporto Humberto Delgado, de modo a que tanto residentes como turistas tenham acesso imediato ao serviço através do seu telemóvel.

Mais bicicletas partilhadas todos os meses

O vereador da Mobilidade da Câmara de Lisboa diz na Renascença que todas as semanas são abertas estações de bicicletas partilhadas, geridas pela EMEL (empresa municipal de estacionamento de Lisboa).

“Estamos a chegar agora à zona da baixa, da Praça do Município, do Cais do Sodré, da 24 de Julho e vamos estar a abrir estações todos os meses durante alguns meses”, anuncia.

Miguel Gaspar avança ainda que, numa primeira fase, o sistema vai expandir-se até às “1500 bicicletas – neste momento temos cerca de 500 – e depois é natural que vamos expandir para outros concelhos” limítrofes de Lisboa, já sinalizados.

Quanto ao facto de haver várias estações sem bicicletas, o vereador justifica com o facto de “serem vítimas do seu próprio sucesso: as pessoas usam e ainda bem”. Admite, contudo que há que “melhorar a reposição do sistema”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.