|
A+ / A-

Criminalidade geral subiu, mas a violenta desceu

28 mar, 2018 - 06:43 • Celso Paiva Sol

As autoridades registaram mais 10 mil crimes no ano passado, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna.

A+ / A-

Mantém-se a tendência: a criminalidade violenta desceu em Portugal no ano passado, mas a criminalidade geral aumentou. Os dados que a Renascença antecipa constam do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) relativo a 2017.

No ano passado registou-se um aumento ligeiramente superior a 3%, o que representa cerca de 10 mil crimes a mais do que em 2016.

O documento vai ser analisado e aprovado no Conselho Superior de Segurança Interna, esta quarta-feira, depois será analisado pelo Conselho de Ministros e seguirá para a Assembleia da República.

Entre os principais dados a reter do relatório está a descida da criminalidade grave e violenta, que quase chega aos 9 %.

Neste caso, consolida-se uma tendência de redução que se repete pelo oitavo ano consecutivo. No entanto, o crime grave e violento representa apenas 4% do total de toda a criminalidade participada.

A redução de quase 9 % registada o ano passado, equivale a menos 1.000 crimes.

O RASI, como é conhecido, reúne os dados de quase uma dezena de forças e serviços de Segurança e é elaborado pela Secretária Geral do Sistema de Segurança Interna, a magistrada Helena Fazenda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.