O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Sintra. Derrocada de pedras na praia da Ursa faz um morto e um ferido grave

15 mar, 2018 - 10:45

A vítima mortal é um homem de 23 anos. A mulher, de 18 anos, tem múltiplas fraturas e foi transportada para o Hospital de S. José.
A+ / A-
Força Aérea resgate as vítimas da derrocada na praia da Ursa
Força Aérea resgate as vítimas da derrocada na praia da Ursa

"Soltaram-se pedras da arriba" na praia da Ursa em Sintra que atingiram duas pessoas: há a registar um morto e um ferido grave.

A vítima mortal é um jovem de 23 anos, de nacionalidade brasileira. O ferido é uma mulher de nacionalidade alemã, com 18 anos. De acordo com as informações apuradas pela Renascença, as vítimas fazem parte de um grupo de cinco turistas que estavam acampados na praia.

As tendas estavam montadas junto à arriba com cerca de 150 metros.

A mulher foi transportada para o Hospital de São José, em Lisboa, apresentando politraumatismos mas está estável. Os outros três elementos do grupo estão a ser acompanhados por psicólogos devido ao "trauma da perda".

Ao local ocorreu uma equipa de resgate dos Bombeiros Voluntários de Almoçageme e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), para prestar assistência às vítimas.

A Autoridade Marítima Nacional também se deslocou ao local e foi, entretanto, acionado um meio aéreo de resgate e salvamento da Força Aérea Portuguesa.

As autoridades decidiram que não há razão para interditar a praia e que vão repor a sinalização de perigo, recordando os cuidados a ter junto às zonas costeiras nestes dias de mau tempo.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) vai avaliar o local para decidir se é necessário colocar uma rede de proteção.


[notícia atualizada às 12h43]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • fanã
    15 mar, 2018 aveiro 14:56
    Mas o que é que esta gente tem no caco ???????????...............Acampados na praia com todos os avisos de perigo a beira mar , e perto de uma arriba ; dá que pensar na verdadeira razão desta permanecia destes artistas , neste sitio de alto perigo !!!!!