O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Viajar pela Nacional 2 “é como fazer um filme de Portugal com vários capítulos"

09 mar, 2018 - 10:05 • Olímpia Mairos

A mítica estrada que começa em Chaves e termina 738.5 quilómetros depois, em Faro, é a estrada nacional mais extensa de Portugal e a única que atravessa o país de lés-a-lés.
A+ / A-

Chama-se “Guia Portugal de Norte a Sul pela mítica Estrada Nacional 2” e tem a chancela da editora Foge Comigo. Ao longo de 504 páginas, o guia pretende levar o viajante a uma experiência única por uma linha de asfalto que liga Chaves a Faro, num percurso vertiginoso pela espinha dorsal do país.

Percorrer a estrada nacional nº 2 “é como fazer um filme de Portugal e com vários capítulos, para contemplar os 35 concelhos e as mais diversas paisagens, desde as montanhas mais a Norte, passando por vales e serras, até chegar às praias”, explica Armando Carvalho, da editora.

O guia começou a ser planeado “há cerca de dois anos”, com o objetivo de “mostrar a todo o país e ao estrangeiro o que de muito bom temos em Portugal”.

É, por assim dizer, um convite ou um desafio a percorrer um trajeto que “pode constituir uma linha de identidade nacional que passa pelo Interior, muitas vezes desfavorecido, mas que desta vez marca pontos em seu favor, em termos de estratégia de desenvolvimento”, explica Armando Carvalho.

“Conseguimos encontrar o fio da história de Portugal ao longo da estrada”, realça ainda o responsável da editora.

O guia, com 504 páginas, detém-se em cada um dos 35 concelhos por onde a estrada passa, para apresentar a gastronomia e vinhos de cada território, o património que se encontra no percurso e os eventos e acontecimentos mais importantes.

Divide a estrada em 20 etapas, correspondendo cada etapa “a uma unidade de paisagem” e cinco delas a cidades – Chaves, Viseu, Lamego, Vila Real e Faro, “onde estão muitos testemunhos daquilo que são os quase 900 anos da história de Portugal e muitas outras que se passaram antes da fundação da nacionalidade”, explica o coordenador do guia.

“Se utilizarem tudo o que está no guia, não chega um ano para fazer e usufruir da estrada com tudo o que há em termos monumentais, de paisagem, de animação turística e de locais de alojamento”, diz Armando Carvalho, aconselhando a fazer o percurso em várias etapas e em diferentes alturas do ano.

“O melhor mesmo é fazer a estrada por etapas, em várias viagens para que possam tirar partido de situações diferentes nesses locais nas quatro estações do ano”, aconselha Armando Carvalho, dando como exemplos “o Douro vinhateiro após as vindimas, o Alentejo nesta altura primaveril ou no pico do verão, os vales do Mondego e do Tejo e todo um outro conjunto de paisagens que existem ao longo da estrada, que vão variando em tonalidades e diversidade”, exemplifica.

“Ótimo produto turístico para entrar nos mercados externos”

O Guia Portugal de Norte a Sul pela mítica Estrada Nacional 2” não tem publicidade, foi financiado pela própria editora, que tem uma parceria com a Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2, para a distribuição da publicação por pontos de venda em todos os concelhos abrangidos pela via.

O presidente da associação e autarca de Santa Marta de Penaguião, Luís Machado, acredita que o guia “vai apoiar muito a divulgação da Estrada Nacional nº 2, com a identificação dos pontos de interesse e da história dos municípios atravessados pela estrada”.

Grande impulsionador da rota inédita, pioneira e transregional que atravessa 35 municípios, passa pelo interior das povoações e liga paisagens tão diferentes como as vinhas durienses, as planícies alentejanas ou as praias algarvias, Luís Machado adianta que vai avançar no terreno “um projeto para a sinalética da via”.

A Nacional 2 “é a terceira estrada mais extensa do mundo, a seguir à rota 66 dos Estados Unidos da América (EUA) e à rota 40 da Argentina”, lembra o presidente da autarquia de Santa Marta de Penaguião.

“A estrada nacional nº 2 é um ótimo produto turístico para entrar nos mercados externos”, conclui Armando Carvalho da empresa Foge Comigo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Eusébio esteves
    16 mar, 2018 Alfornelos 08:15
    Ja fiz de bicicleta 5 dias muito bonito