O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Sistema Citius está blindado, garante entidade que gere o sistema

08 mar, 2018 - 11:42

O Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) aponta o próprio processo "e-toupeira" como exemplo de que "os mecanismos de segurança" do Citius "permitem a identificação de potenciais situações de abuso ou fraude".
A+ / A-

O Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) garante que o acesso ao Citius está blindado.

Em comunicado, o IGFEJ, entidade responsável pela gestão do sistema informático Citius, refere que este sistema está dotado de mecanismos de segurança que "permitem a identificação de potenciais situações de abuso ou fraude".

O instituto garante também que o acesso à informação que consta do Citius é restrito e limitado, com níveis de permissão diferenciados, dispondo de registos de auditoria interna. "O acesso aos processos judiciais que são tramitados através do Citius obedece a regras estritas em que apenas os oficiais de justiça da secção do processo, as partes (quando existam) e os respetivos magistrados poderão ter acesso", lê-se.

"Não existem entidades externas ao sistema judicial com permissão ou credenciais de acesso", sublinha a nota do IGFEJ.

Neste comunicado, IGFEJ confirma que tem vindo a cooperar, desde outubro de 2017, com o Ministério Público e a Polícia Judiciária, na investigação de factos.

"O Citius está dotado de mecanismos de segurança que permitem a identificação de potenciais situações de abuso ou fraude, como demonstra a presente investigação", remata o texto.

Este esclarecimento surge depois da justiça e do Citius terem sido envolvidos no caso e-toupeira, em que, alegadamente, funcionários da justiça terão tido acesso a processos judiciais que remetiam para Paulo Gonçalves, assessor jurídico e "braço direito" do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Guilherme
    08 mar, 2018 Lisboa 15:27
    Esta blidado com PAPEL DE EMBRULHO. ...