O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Navio encalhado junto ao Bugio aguarda rebocador de Gibraltar

08 mar, 2018 - 07:43

Após três tentativas falhadas na foz do Tejo, o comandante da capitania do porto de Lisboa revela que uma nova operação só vai avançar na sexta-feira.
A+ / A-

O navio espanhol com 118 metros continua encalhado à saída do Tejo. As operações aguardam a chegada de "meios com maior capacidade e de uma equipa especializada", segundo avançou à Renascença o comandante Coelho Gil, da capitania do porto de Lisboa.

A nova estratégia para desencalhar o navio passa pela chegada de um rebocador de grandes dimensões, que vem de Gibraltar, cerca das 15h00.

O comandante Coelho Gil revela que também foi requisitada uma equipa holandesa preparada a para este tipo de situação. Além disso, aguardam “novos cabos”.

Em dois dias foram feitas três tentativas, devendo a nova operação acontecer só na sexta-feira.

Sobre a agitação marítima, o mesmo responsável disse que até pode vir a facilitar o desencalhar, ao “sacudir o navio”.

A Autoridade Marítima está a acompanhar a situação, “garantindo que todos os procedimentos são feitos em segurança e sem riscos, tanto para as pessoas, como para o meio ambiente, garantindo também a segurança da navegação no local”.

O navio "Betanzos", com bandeira espanhola, está encalhado desde as 1h00 de terça-feira junto ao Bugio, na foz do rio Tejo, ao largo de Lisboa, com 10 tripulantes a bordo, que estão bem de saúde. Tinha saído do terminal do Beato, em Lisboa, rumo a Casablanca, Marrocos.

As operações de reboque começaram na tarde de terça-feira, mas os imprevistos têm-se sucedido, como, por exemplo, a âncora presa ao fundo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vasco
    08 mar, 2018 Santarém 19:51
    Já não é a primeira vez que se tem de recorrer a um rebocador estrangeiro para desencalhar navios, um país como o nosso com tantas tradições marítimas, nem construção, nem navios praticamente temos, é simplesmente escandaloso!.