A+ / A-

Fosso salarial entre homens e mulher agrava-se em ​Portugal

07 mar, 2018 - 14:33

Portugal é um dos dez Estados-membros em que a diferenciação salarial de género subiu no período entre 2011 e 2016.
A+ / A-

Portugal foi o país da União Europeia (UE) em que o fosso salarial entre homens e mulheres mais cresceu entre 2011 e 2016, num total de 4,6%, divulgou esta quarta-feira o Eurostat.

De acordo com o gabinete de estatísticas da UE, entre 2011 e 2016, o fosso salarial entre homens e mulheres em Portugal cresceu 4,6%, situando-se em 2016 nos 17,5%, menos 0,3% do que no ano anterior.

Portugal é um dos dez Estados-Membros em que a diferenciação salarial de género subiu no período em análise, sendo seguido de perto pela Eslovénia (4,5%).

Ainda assim, o fosso salarial dentro da UE decaiu 0,6% dos 16,8% em 2011 para os 16,2% em 2016, impulsionado sobretudo pelas 'quebras' na Roménia (menos 4,4%), Hungria (4%), Espanha e Áustria (ambas com menos 3,4%), Bélgica (3,3%) e a Holanda (3%).

A nível europeu, segundo os dados do Eurostat, os Estados-Membros que lideraram o 'ranking' da diferença de remuneração entre homens e mulheres em 2016 foram a Estónia (25,3%), a República Checa (21,8%), a Alemanha (21,5%), o Reino Unido (21,%) e a Áustria (20,1%).

Roménia (5,2%), Itália (5,3%), Luxemburgo (5,5%), Bélgica (6,1%), Polónia (7,2%), Eslovénia (7,8%) e Croácia (8,7%) foram os países que ficaram abaixo dos dez%.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Para refletir...
    07 mar, 2018 Almada 17:10
    Temos problemas graves neste país, a hipocrisia! Os homens não ganham todos o mesmo, nem quando fazem tarefas idênticas. Existem empresas que se dedicam a alugar pessoas como se fossem coisas, isto é um retrocesso civilizacional. Há tantos comentadores, mas sobre isto ninguém fala! Temos de ficar preocupados é com este estudo da DECO que se encontra aqui e noutros lados, é só procurar: "http://rr.sapo.pt/video/117597/portugueses_confiam_muito_pouco_na_justica". E depois os homens ganharem mais que as mulheres é que é grave. Haja respeito!