O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
E-Toupeira

Benfica desmente contratação de sobrinho de funcionário judicial

06 mar, 2018 - 17:04

Revista Sábado revelou que Fernando Rocha, sobrinho de José Silva, técnico do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, havia sido empregado no Museu Cosme Damião.
A+ / A-

O Benfica desmentiu, esta terça-feira, através de comunicado, que tenha contratado o sobrinho de um funcionário judicial como empregado do Museu Cosme Damião.

A reação dos encarnados surge depois da notícia avançada pela revista Sábado, que dava conta da contratação de Fernando Rocha, sobrinho de José Silva, técnico do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça.

De acordo com a referida fonte, Rocha teria sido empregado pelo emblema da Luz como contrapartida dada por Paulo Gonçalves, assessor jurídico das águias e que hoje foi detido, no âmbito da operação E-toupeira.

"A Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD esclarece que é falsa a informação veiculada por alguns órgãos de comunicação social de que Fernando Rocha, sobrinho de um funcionário judicial, teria sido contratado pelo Sport Lisboa e Benfica e trabalharia no Museu Benfica Cosme Damião. Essa informação carece de qualquer fundamento sério porque invoca o nome de alguém que não pertence, nem nunca pertenceu, aos quadros profissionais de qualquer estrutura do Sport Lisboa e Benfica e Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD. Quanto a nós conviria apurar a responsabilidade pela divulgação desta gravíssima falsidade", lê-se no esclarecimento emitido pelo Benfica através do seu site oficial.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.