O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Sindicatos dos professores ameaçam com greves no segundo e terceiro período

09 fev, 2018 - 14:44

A ideia é decretar uma semana de greves rotativas, a realizar um dia em cada uma das regiões, entre 12 a 16 de março, e repetir o protesto no terceiro período, entre 16 a 20 de abril.
A+ / A-

Os sindicatos dos professores ameaçaram, esta sexta-feira, com uma semana de greve, ainda no segundo período, e outra no terceiro período, se o Ministério da Educação não manifestar, até final da próxima semana, disponibilidade concreta para cumprir o compromisso estabelecido.

Numa declaração aos jornalistas em representação das várias estruturas sindicais dos professores, o secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), Mário Nogueira, disse que no dia 15, data em que se realizará nova ronda negocial com o governo, os sindicatos decidirão se estas formas de luta se concretizam.

Na mesa está a possibilidade de uma semana de greves rotativas, a realizar um dia em cada uma das regiões, entre 12 a 16 de março.

Os sindicatos ameaçam também uma segunda semana de greve no terceiro período, de 16 a 20 de abril, e prevêem uma “grande manifestação nacional” se as paralisações não tiverem os efeitos pretendidos.

Mário Nogueira lembrou que há uma nova ronda negocial a 14 e 15 de fevereiro, considerando que essa é “a oportunidade que o Ministério tem de mostrar que está de boa fé nas negociações e disponível para aceitar a declaração de compromisso”, que tinha sido assinada em novembro.

Os sindicatos dizem que o governo ainda não apresentou propostas sobre matérias como a recuperação de tempo de serviço, a aposentação e os horários de trabalho e que avançou com uma proposta “extremamente negativa” em relação ao reposicionamento da carreira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.