O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Schulz diz "não" a lugar de ministro na coligação com Merkel

09 fev, 2018 - 14:33

O ainda líder do SPD volta atrás e afinal já nem ministro dos negócios estrangeiros quer ser. Social-democratas decidem futuro da coligação a 4 de março.
A+ / A-

O ainda líder do SPD, Martin Schulz, anunciou esta sexta-feira que não assumirá o lugar de ministro dos Negócios Estrangeiros no governo de coligação com a CDU de Angela Merkel.

A decisão do líder demissionário dos social-democratas alemães acontece dias depois de ter anunciado que ia deixar a liderança do partido, mas que ocuparia o lugar de ministro. Uma decisão que provocou mal-estar dentro do partido e que colocou em risco a votação interna do sim ao acordo com Merkel.

“Venho anunciar a minha renúncia a qualquer participação no elenco do Governo federal, esperando sinceramente que isso possa colocar um ponto final nas discussões dentro do SPD”, fez saber Schulz, através de um comunicado.

Depois de ter abandonado o cargo de presidente do Parlamento Europeu para conduzir o SPD às urnas, Schulz conseguiu o pior resultado do partido desde o pós-guerra. Um resultado que não satisfez os membros do partido e que levou a que Schulz se tornasse um líder contestado. A decisão de abandonar a liderança do partido mas ocupar o cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros aumentou ainda mais o debate interno, depois de Schulz ter jurado nunca fazer parte de um executivo de Merkel.

Apesar do acordo anunciado, a instabilidade dentro do SPD pode levar a que a coligação não aconteça, já que os social-democratas decidiram referendar a decisão do ainda líder a 4 de março. Schulz renuncia assim ao cargo de ministro, na esperança de conseguir salvar o acordo assinado com a CDU.

“Os debates à volta da minha pessoa ameaçam o sucesso da votação. Pelo que declaro aqui a renúncia à minha entrada no Governo”, pode ler-se no comunicado de Schulz, vinculado pelas agências internacionais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.