O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Adega da Herdade do Freixo é “Edifício do Ano de 2018"

08 fev, 2018 - 18:03

O espaço foi criado pelo arquiteto Frederico Valsassina e ganhou na categoria de Arquitetura Industrial.
A+ / A-

A adega da Herdade do Freixo, no Redondo, é a vencedora do prémio “Edifício do Ano de 2018”. O espaço criado pelo arquiteto Frederico Valsassina ganhou na categoria de Arquitetura Industrial, numa eleição feita por quase 100 mil leitores do portal ArchDaily.

A adega subterrânea foi inaugurada em 2016 e tem uma forma em espiral que tem sido comparada ao Museu Guggenheim.

O arquiteto responsável explica que a espiral é muito mais necessidade do que inspiração.

“Criámos um trajeto para esta adega ser vista durante qualquer uma das fases de trabalho. Como a adega se desenvolve desde uma quota de 20 metros abaixo do solo, tivemos de arranjar uma maneira para entrar luz e para que a adega pudesse ser também visitada por pessoas com deficiências. E daí fizemos um jogo de rampas em que o visitante passa por vários níveis desde a chegada da uva, a fermentação, a vinificação, a stocagem até ao engarrafamento”, refere Frederico Valsassina.

O GS1, do atelier Promontorio, e o edifício de Francisco e Manuel Aires Mateus para a Faculdade de Arquitetura de Tournai, na Bélgica, eram os outros dois projetos portugueses nomeados para o prémio Edifício do Ano.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.