A+ / A-

Ranking das escolas. Sobe o número de secundárias com média negativa

03 fev, 2018 - 00:00 • Fátima Casanova , Rui Barros

Quase um quarto das escolas secundárias tiveram uma média abaixo de 9,5 valores nos Exames Nacionais. É o segundo ano consecutivo em que as notas baixam.
A+ / A-

Pelo segundo ano consecutivo, baixaram as notas nos exames do ensino secundário. Vai ficando cada vez mais distante o ano de 2015, quando a melhor instituição de ensino chegou ao patamar dos 15 valores. Foi o Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, que lidera o ranking pelo quarto ano consecutivo, com uma média de 14,92 valores.

Apesar de as notas terem baixado, as instituições do "top" 5 ainda têm médias acima dos 14 valores, à semelhança dos dois últimos anos e acima de 2013, quando nenhuma escola conseguiu atingir essa meta. Quanto às escolas públicas, só quatro têm pouco mais de 12 valores, quando em 2016 eram cinco.

Com médias mais baixas, aumentaram as escolas com média negativa nos exames nacionais do ensino secundário. Em 2017, quase um quarto das escolas (24%) ficou abaixo dos 9,5 valores numa escala que vai de 0 a 20 (no secundário a nota positiva conta a partir de 9,5 valores).

Em 2016 mais de 80% das 626 escolas conseguiram ter nota positiva (o que aconteceu pela quarta vez em 15 anos), no ano passado esse número recuou para 76%.

Ainda assim, por comparação com 2013, considerado um ano negro, o número de escolas com média positiva nos exames nacionais mais do que duplicou: passou de 194 para 477.

Desde também, ainda que ligeiramente, o número de escolas com uma taxa de conclusão do 12.º ano elevada. Em 2017, 57 estabelecimentos de ensino apresentaram taxas de conclusão iguais ou superiores a 80%, menos 4 face ao ano anterior.

Olhando para o fim da tabela, aumentou o número de escolas onde metade ou mais dos alunos chumbaram no 12.º ano. Subiu de 25, em 2016, para 45, no ano passado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.