A+ / A-

Escutas a José Sócrates contaminadas por vírus

20 jan, 2018 - 09:09 • Marina Pimentel

A informação já foi confirmada à Renascença pelo Ministério Público.
A+ / A-

A procuradora-geral da República admite que alguns dos ficheiros informáticos que contêm as escutas telefónicas a José Sócrates estão infectados com vírus.

Em resposta a perguntas colocadas pela Renascença, o gabinete de Joana Marques Vidal confirma a existência dos vírus informáticos e explica que as próprias mensagens no momento da intercepção estavam já contaminadas

Não resultaram, portanto, do procedimento de cópia dos ficheiros nem do processo de análise durante a investigação. O Ministério Público optou por manter a situação, de modo a não alterar a versão originária dos ficheiros de prova.

Contactada a defesa de José Sócrates, o advogado Pedro Delille diz que, quando recebeu os ficheiros com as escutas constatou que, não só as conversas são dificilmente audíveis, como os interlocutores não estão identificados.

O advogado adiantou à Renascença que entregou os ficheiros a um perito informático, que detectou um total cinco dezenas de vírus. Por isso, vai pedir uma perícia informática às escutas telefónicas, logo que o processo seja entregue pelo Ministério Público no Tribunal Central de Instrução Criminal.

Apesar de a acusação ter sido proferida no início de Outubro, o processo continua nas mãos do Ministério Público. Não foi entregue ao tribunal nem todas as peças processuais chegaram ainda às mãos dos advogados responsáveis pelas defesas.

Na sexta-feira, deveria ter sido fixado pelo juiz de instrução o prazo de contagem para se iniciar uma nova fase do processo, a instrução, durante a qual os acusados podem tentar deitar abaixo a prova, de maneira a evitar chegarem a julgamento, mas o juiz Carlos Alexandre voltou a adiar a contagem do prazo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Gil
    20 jan, 2018 Lisboa 21:06
    Para quando o fim deste processo?
  • Rui
    20 jan, 2018 Lisboa 19:26
    Metam a pen numa playstation que já conseguem aceder, isso acontece muita às pens quando são postas e retiradas muitas vezes é à pressa se for uma pen se for disco rigido não há vírus que impressa o acesso nem sequer impossibilidade de recuperar sectores do mesmo há centenas de milhares de portugueses que conseguem resolver isso.
  • Atu
    20 jan, 2018 Porto 18:25
    O juiz Carlos Alexandre - o tal super juiz - faz o que quer, o que lhe apetece e sobra-lhe ainda tempo...! É mais um juiz pertencente ao estado lampiânico... Que agora vem demonstrando a sua verdadeira extensão.
  • Daniela
    20 jan, 2018 Vila Nova de Gaia 18:17
    Que anedota, que novidade!!!!! Já era de esperar que isto acontecesse. Que vergonha! Só neste país , enfim é o que temos e não promete melhoras. Iremos ver o que acontecerá no futuro quando o ex primeiro ministro sem canudo vier pedir uma indemnização, pois de certeza vai acontecer!
  • Sergio
    20 jan, 2018 Beja 17:22
    Quero ouvir um técnico de informatica a esplicar ISto em linguagem técnica e um resumo em português claro para todos perceberem.... Quero ver....
  • Antonio M.C.Pina
    20 jan, 2018 Reboleira 17:17
    Agora ,eu pergunto senhores honestos que fazem pagar pecados e com base em incertezas que se cruxifixa um homem.
  • Sniper
    20 jan, 2018 Rep. das Bananas 17:01
    Pagaram o mesmo para fazer desaparecer a mala do carro daquele senhor que estava envolvido no negócio manhoso dos submarinos. A mala estava cheia de provas que encriminavam alguns Srs. do governo português. Haja dinheiro. Existirá sempre gente para limpar a sujidade. A justiça existe para controlar e enganar o povo.
  • Maria
    20 jan, 2018 Porto 16:45
    Chamam-lhe vírus, eu chamo-lhe outra coisa....não há vergonha neste país da treta.
  • 20 jan, 2018 aldeia 14:46
    Estou á espera de saber quantos MILHÕES irão ser pagos (por todos nós) de indemnização quando este processo fôr arquivado!......................
  • 20 jan, 2018 14:38
    Mais uma vez, as provas de acusação, serem corrompidas em benefício do arguido!😈...onde já vi isto antes?