A+ / A-
1939-2018

Morreu Madalena Iglésias, Rainha da Rádio e da Televisão

16 jan, 2018 - 09:30

Com "Ele e Ela", venceu o Festival da Canção em 1966. Foi uma das vozes mais importantes do "nacional-cançonetismo” da década de 1960
A+ / A-

Morreu a cantora Madalena Iglésias. Tinha 78 anos e estava internada numa clínica em Barcelona, Espanha.

O velório realiza-se esta terça-feira, a partir das 18h00 (17h00 em Lisboa), na sala 18 do Tanatório de Collserola, em Barcelona.

Madalena Iglésias venceu o Festival da Canção em 1966 com a música "Ele e Ela" (“Sei quem ele é/ Ele é bom rapaz/ Um pouco tímido até") e tornou-se, a par de Simone de Oliveira, numa das vozes mais importantes do chamado “nacional-cançonetismo” da década de 1960 – ano em que recebeu os títulos de Rainha da Rádio e da Televisão.


Madalena Iglésias nasceu em Lisboa a 24 de Outubro de 1939. Estudou no Conservatório e na Escola do Canto e entrou, com apenas 15 anos, para o Centro de Preparação de Artistas da Rádio da Emissora Nacional. No mesmo ano (1954) estreou-se também na televisão.

A carreira internacional começa em 1959, com uma actuação na televisão espanhola, e em 1962, representa Portugal no Festival de Benidorm.

Em 1972, casou e abandonou a carreira artística, tendo ido viver para a Venezuela, onde, grávida de oito meses, ainda participou num programa televisivo. As aparições passaram a ser pontuais, tendo-se mantido afastada dos palcos até os seus filhos terem cinco anos.

Mudou-se para Barcelona em 1987, onde permaneceu até à sua morte.

Rainha da Rádio e da Televisão

Em 1991, Madalena Iglesias recebeu o prémio prestígio na Grande Noite do Fado, que decorreu em Lisboa. Ao subir ao palco, improvisou, ao lado de Simone de Oliveira, o sucesso “Ele e Ela”.

Antes, Filipe La Féria produziu, com êxito, o espectáculo “What Happened to Madalena Iglésias?”, com Rita Ribeiro.

Em meados dos anos de 1990, várias editoras lançaram compilações com os sucessos da cantora e mais tarde, já em 2008, é lançada uma fotobiografia.

“Balada Das Palavras Perdidas”, “Na tua carta”, uma versão de “Sol de Inverno”, “Silêncio entre nós”, "Eu Vou Cantando", "Não Sou de Ninguém", "Fado da Madragoa", "Gostei de Ti", "Adeus Mouraria" e "Noite Acordada". "Que Mal Te Fiz", "Gente Que Passa Na Rua", "Miguel E Isabel", "Amor Vê Lá", "Saudade Vai-te Embora", "Tu Vais Voltar", "Poema da Vida", "Amar É Vencer" e "Tu És Quem És" são alguns dos temas que compõem o portefólio da cantora.

“Ele e Ela” é a canção mais conhecida de Madalena Iglesias, trauteada ainda por muitos portugueses e recuperada por vários artistas, em diferentes versões.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 16 jan, 2018 palmela 12:14
    Sei quem ele ele e ! Ele bom rapaz muito timido ate! Vivia no sonho de encontrar o amor pois seu coracao pedia mais mais calor! Ela a apareceu e a beleza dela desde logo prendeu! Se alguem perguntar se a madalena morreu nao acreditem a madalena sou eu"