A+ / A-

Santana Lopes. “Vou continuar a combater"

13 jan, 2018 - 23:40

Rui Rio é o novo líder do PSD.
A+ / A-
Santana Lopes assume derrota. "Vou continuar a combater"
Santana Lopes assume derrota. "Vou continuar a combater"

Pedro Santana Lopes assumiu a responsabilidade da derrota nas eleições directas para a liderança do PSD, mas disse estar de consciência tranquila e assegurou que vai continuar no combate político.

"Peço a todas e a todos para não estarem tristes (...). Estou de consciência tranquila, demos tudo o que tínhamos e fizemos aquilo que é importante em política: lutar pelos nossos ideais", afirmou, recebendo um forte aplauso dos apoiantes que gritavam "PSD".

Santana Lopes disse que, apesar de ainda não serem conhecidos os resultados finais, já felicitou o seu adversário Rui Rio pela vitória.

"Eu vou continuar a combater politicamente, como alguém disse um dia, só é derrotado quem desiste de lutar", assegurou.

Santana Lopes passou a noite eleitoral das directas do PSD numa suite de um hotel em Lisboa, em frente à sua sede de campanha, tendo descido perto das 22h30, acompanhado pelo mandatário nacional Almeida Henriques e pela família para uma declaração numa sala que recebeu o candidato com gritos entusiasmados "Santana, Santana".

"O PPD/PSD escolheu, fez a sua escolha. Quando me apresentei a 22 de Outubro em Santarém tive ocasião de dizer que apresentava a candidatura para o PPD/PSD escolher entre dois caminhos que iam ser apresentados", afirmou, dizendo ter "orgulho na campanha especialmente intensa" que fez, agradecendo à família e aos seus apoiantes e destacando uma das mais antigas, Conceição Monteiro.

O antigo primeiro-ministro disse esperar que "Portugal fique bem servido com esta escolha", considerando que os militantes do PSD "saberão na sua avaliação democrática qual era e qual é a melhor solução" para o partido e para o país.

"Dei tudo o que sou capaz de dar para expor essas diferenças, para as pessoas estarem conscientes do que representa um e outro caminho", assegurou.

Dizendo que os resultados variam de distrito para distrito, Santana Lopes deixou as avaliações para os analistas, mas afirmou uma certeza: "A responsabilidade é naturalmente minha".

O antigo primeiro-ministro salientou que a sua candidatura partiu depois da do seu adversário, há cerca de três meses, mas considerou que isso não pode ser apontado como uma desculpa.

"O que importa é ver que Portugal precisa que os seus partidos políticos estejam cada vez mais próximos das pessoas", afirmou, dizendo esperar que algumas das suas ideias possam vingar, como da importância de Portugal crescer acima da média europeia.

Numa declaração de cerca de dez minutos, Santana Lopes apelou ao próximo líder do PSD e dos outros partidos que olhem para o país como um todo, considerando que a coesão territorial deverá ser a principal prioridade.

O ex-presidente da Câmara do Porto Rui Rio foi hoje eleito presidente do PSD com 54,37% dos votos, com uma diferença de cerca de 10 pontos percentuais para Pedro Santana Lopes, informou o partido.

Rui Rio será o 18.º presidente do PSD desde o 25 de Abril de 1974, sucedendo a Pedro Passos Coelho, eleito em 2010.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pedro Silva
    14 jan, 2018 Lisboa 19:53
    Continuará a ser sempre «Santana Flopes».
  • Dina pontes
    14 jan, 2018 Lisboa 13:47
    Foi uma perda para o país porque Santana Lopes é um democrata a sério não de palavras mas sim atitudes. Não sou do psd, mas admiro certas figuras cobsuderadas de idôneas e Gustavia que tuvesse ganho Santana Lopes. Um homem actualizado e não conservador fanático, simples não usando galoes e próximo do povo. Dá credibilidade a forma natural como lida com o povo. Que ele lute e não deixe o líder manter a sua conhecida teimosos para fazer só o que quer. Ainda agora chegou, dúzia mal de Passos e ameaça retomar corte nas pensões. Espeto que o PSD seja reconhecido como o partido defender dos ricos, espezinhando a restante classe.
  • Sai palha
    14 jan, 2018 Lisboa 10:01
    Vou continuar a combater = vou continuar a tentar encontrar um novo tacho.