O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

PSD. Rui Rio vence com 54% dos votos

13 jan, 2018 - 23:52

Ainda faltam apurar 11 secções de voto, mas antigo autarca do Porto ganha com cerca de 3600 votos de vantagem sobre Santana Lopes.
A+ / A-

O ex-presidente da Câmara do Porto Rui Rio foi eleito presidente do PSD com 54,37% dos votos, com uma diferença de cerca de 10 pontos percentuais para Pedro Santana Lopes, informou o partido.

Rui Rio será o 18.º presidente do PSD desde o 25 de Abril de 1974, sucedendo a Pedro Passos Coelho, eleito em 2010.

O anúncio dos resultados provisórios foi feito na sede do PSD, em Lisboa, por Jorge Pracana, membro do conselho de jurisdição nacional do partido.

Rui Rio, com 22.611 votos e 54,37%, ganhou com uma vantagem de 3.637 votos sobre Pedro Santana Lopes, que recolheu 18.974 (45,63%).

Dos 70.692 militantes com quotas em dia, votaram 42.254, o que corresponde a uma taxa de participação de 59,77%. Registaram-se 440 votos em branco e 229 votos nulos.

Das 325 secções do PSD envolvidas nas eleições directas, falta ainda apurar o resultado em 11.

Jorge Pracana elogiou a "forte mobilização" dos militantes nas eleições de directas e informou que ia anunciar resultados provisórios.

Os resultados finais destas eleições directas no PSD serão divulgados em 17 de Janeiro no 'site' do partido e no jornal oficial, "Povo Livre".

Mais de 70 mil militantes do PSD foram chamados a escolher o próximo presidente social-democrata e sucessor de Pedro Passos Coelho nas eleições directas, ganhas por Rui Rio.

Além do próximo presidente do PSD, os militantes elegeram ainda os delegados ao congresso, de 16 a 18 de Fevereiro, em Lisboa, e votaram em 38 eleições locais, incluindo para a secção concelhia de Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.