O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Mulheres sauditas foram ao futebol pela primeira vez

13 jan, 2018 - 01:34

O jogo histórico aconteceu esta sexta-feira, na cidade de Jeddah. Mulheres puderam assistir a um jogo numa bancada especial para famílias.
A+ / A-

As mulheres foram autorizadas, pela primeira vez, a assistir a um jogo de futebol nas bancadas de um estádio da Arábia Saudita.

O jogo histórico aconteceu esta sexta-feira, na cidade de Jeddah, e opôs o Al Ahly ao Al-Batin, do treinador português Quim Machado.

As mulheres puderam assistir à partida numa bancada especial para famílias, separadas dos restantes adeptos.

“Este acontecimento prova que estamos a caminhar para um futuro próspero. Estou muito orgulhosa por testemunhar esta enorme mudança”, disse à agência AFP Lamya, uma adepta de futebol natural da cidade de Jeddah.

“É um dia histórico para o nosso reino que culmina nas mudanças fundamentais que estão a em curso”, afirmou Ruwayda, outra mulher saudita que viu um jogo de futebol pela primeira vez ao vivo.

O Governo saudita já autorizou a presença de mulheres em mais dois jogos, no sábado e na próxima quinta-feira.

A presença de mulheres nas bancadas dos estádios de futebol é uma das medidas de abertura aprovadas nos últimos meses na Arábia Saudita.

A partir do Verão deste ano, as mulheres também vão poder conduzir no reino controlado pela lei islâmica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • manuel
    14 jan, 2018 lisboa 08:07
    Só agora é que estão a sair da idade da pedra.