A+ / A-

Fernando Pinto sai da TAP no fim de Janeiro

11 jan, 2018 - 10:39

Esteve 17 anos à frente da companhia aérea nacional. Já é conhecido o seu sucessor.
A+ / A-

Fernando Pinto, o presidente executivo da TAP, vai deixar a empresa a 31 de Janeiro, após mais de 17 anos na liderança da transportadora aérea.

Antonoaldo Neves, antigo presidente executivo da Azul, vai substitui-lo no cargo, segundo avança o site do "Expresso".

Segundo a TVI 24, Fernando Pinto comunicou na manhã desta quinta-feira aos funcionários, por e-mail, a saída da presidência. "A TAP é hoje três vezes maior do que quando eu aqui cheguei e cresceu muito também neste dois anos de privatização. É hoje também uma das maiores empregadoras do país. Saio com a certeza de que a empresa está numa rota de crescimento. O nosso caminho é crescer. E irei acompanhar esse crescimento de perto, uma vez que continuarei ligado à companhia nos próximos dois anos enquanto assessor da TAP. Não é assim, nem jamais será, um adeus. É altura de fazer um balanço e ele é muito positivo", escreveu.

Os membros do conselho de administração serão propostos pela Parpública e pelos privados da Atlantic Gateway até ao dia 16. A eleição decorre na assembleia geral a 31 de Janeiro. Ao que o “Expresso” apurou, não haverá alterações do lado do Estado.

Antonoaldo Neves, 42 anos, está ligado à aviação há anos, tendo antes sido sócio da consultora McKinsey, e já integrava a comissão executiva da TAP. Antes de integrar a administração da TAP, foi presidente executivo da Azul Linhas Aéreas, de David Neeleman. Tem dupla nacionalidade, brasileira e portuguesa: nasceu no Brasil, sendo o seu avô de Oliveira de Azeméis.

A TAP transportou 14,274 milhões de passageiros em 2017, um crescimento de 21,7% face ao ano anterior. No período de referência, a companhia aérea transportou mais 2,55 milhões de passageiros do que em 2016.



Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.