|
A+ / A-

Rui Rio não diz "jamais" a Governo de bloco central

04 jan, 2018 - 23:05

No primeiro debate entre os candidatos à liderança do PSD, Rui Rio e Pedro Santana Lopes falaram sobre a estratégia para as eleições legislativas.

A+ / A-

Veja também:


O candidato à liderança do PSD, Rui Rio, diz que ninguém pode dizer “jamais” a um Governo de bloco central, ou seja, de coligação entre sociais-democratas e socialistas.

No debate desta quinta-feira à noite na RTP, Rui Rio defendeu que, preferencialmente, o PSD deve ir a votos sem coligações. Não afasta uma coligação com o CDS, mas acha “pouco provável”.

“Acho que o PSD deve ir sozinho. Em caso de não haver maioria absoluta, aquilo que é normal é a coligação ser com o CDS”, defendeu.

Rui Rio não encontra “nenhuma circunstância extraordinária para que seja feito um bloco central” com o PS, mas nunca “se pode dizer ‘jamais’” em "nome do interesse nacional".

Dá o exemplo de um hipotético caso de emergência nacional, como um pedido de resgate em que a troika exija um governo de bloco central.

Santana rejeita bloco central

Se for eleito secretário-geral, Pedro Santana Lopes defende que, idealmente, o PSD deve ir sozinho a votos nas eleições legislativas.

O antigo primeiro-ministro excluiu “qualquer coligação com o Partido Socialista, antes ou depois das eleições”.

O passado acabou por marcar o primeiro debate entre os candidatos à liderança do PSD. Pedro Santana Lopes não gostou que Rui Rio lembrasse o que chamou de "trapalhadas" do seu Governo, que acabou por cair ao fim de poucos meses.

Rui Rio justificou a usa insistência na má experiência governativa de Santana Lopes porque considera que é isso que os portugueses vão julgar no momento de votar para primeiro-ministro. E terminou o debate voltando precisamente a esse ponto: pedindo aos militantes do PSD que se lembrem do que o país prefere.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • r
    05 jan, 2018 00:08
    Santana Lopes - mais um Banha da Cobra.