A+ / A-

CDS quer apoios para fogos de Outubro iguais aos de Junho

03 jan, 2018 - 17:11

A líder centrista reuniu-se, em Oliveira do Hospital, com a AVMISP, a Associação das Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal.
A+ / A-

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, defendeu, esta quarta-feira, que os apoios estatais concedidos no incêndio de Pedrógão Grande devem também ser aplicados da mesma forma aos fogos que eclodiram em Outubro, noutros municípios da região Centro.

As ajudas públicas relativas ao incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande, distrito de Leiria, em 17 de Junho, devem ser igualmente aplicadas “às vítimas e lesados de Outubro”, declarou Assunção Cristas.

A líder centrista falava aos jornalistas, em Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra, um dos concelhos mais atingidos pelos fogos de 15 e 16 de Outubro, após ter participado, com outros deputados do partido, numa reunião com a Associação das Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal (AVMISP), a que preside o empresário Luís Lagos.

“Há empresas que não conseguem ter acesso aos apoios de forma célere”, lamentou, frisando que os empresários “querem fazer investimentos” para retomar a laboração e salvaguardar os postos de trabalho.

Na sua opinião, importa que “o Governo esteja mais próximo” das vítimas em geral e, em particular, dos empresários, “que querem continuar, mas precisam de ser ajudados”, sendo necessário “criar atractividade” para os territórios do interior de Portugal devastados pelos incêndios ao longo de 2017.

Antes da reunião com a direcção da AVMISP, no salão nobre da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, Assunção Cristas e a comitiva do partido visitaram hoje, pela segunda vez, várias empresas destruídas em Outubro pelos incêndios, tendo ouvido queixas dos donos, que salientaram as “demoras e falta de informação” do Estado aos empresários lesados, que apresentaram candidaturas para o efeito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Antonio Lourenço
    03 jan, 2018 Viseu 19:52
    Estes miseraveis que tudo cortaram enquanto foram governo pafiano agora são uns mãos largas. Até onde vai a demagogia e a mentira..
  • lv
    03 jan, 2018 lx 19:01
    E já agora porque é que a Crista não reinvidica o mesmo para as vitimas da Madeira que morreram em consequência da queda da arvore, sem dono,?! Vamos lá senhora Crista, não queira ser selecionadora de cadáveres!