A+ / A-

Publicadas as novas tabelas de retenção de IRS. Consulte aqui

03 jan, 2018 - 16:34

Entre as mudanças de 2018, destaca-se o alargamento do número de escalões de IRS (de cinco para sete) e a extinção total da sobretaxa.
A+ / A-

As novas tabelas de retenção na fonte de IRS para aplicar aos salários e pensões entraram esta quarta-feira em vigor, depois de terem sido publicadas em Diário da República na terça-feira à noite.

Entre as mudanças de 2018, destaca-se o alargamento do número de escalões de IRS (de cinco para sete) e a extinção total da sobretaxa.

Os contribuintes do quarto e quinto escalões de rendimentos, que ganham mais de 40.522 euros por ano, deixam assim de pagar sobretaxa de IRS, tal como previsto no Orçamento do Estado para 2017 (OE2017).

Com o OE2017, ficou definido o fim faseado da sobretaxa de IRS (Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares) para os contribuintes entre o segundo e o quinto escalões de rendimento (uma vez que no ano passado os contribuintes do primeiro escalão já tinham deixado de pagar).

Numa primeira fase, logo em Janeiro do ano passado, deixaram de pagar a sobretaxa os contribuintes do segundo escalão de IRS, com rendimentos entre os 7.091 e os 20.261 euros anuais.

Depois, a partir de Julho, foi a vez de os contribuintes do terceiro escalão (entre 20.261 e 40.522 euros anuais) deixarem de fazer retenção na fonte da sobretaxa.

Agora são os sujeitos passivos do quarto escalão (entre 40.522 e 80.640 euros) e os do quinto escalão (que auferem rendimentos anuais acima dos 80.640 euros) que já não pagarão sobretaxa relativamente aos rendimentos ganhos em Dezembro.

Como o fim da sobretaxa de IRS para os rendimentos auferidos em 2017 foi faseado, isso significa que o valor suportado foi de 0,88% para os contribuintes do terceiro escalão, de 2,75% para os trabalhadores do quarto e de 3,21% para os do quinto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ilidio
    03 jan, 2018 Lisboa 18:02
    É um autentico convite á emigração para quadros diferenciados ativos ou passivos.. É um roubo aos que tem a responsabilidade de criar riqueza e a toda a massa critica.Seremos mais esmifrados este ano.Perder se âo muitos cérebros e o Pais ficará mais pobre e despovoado.IAs sedes de empresas deslocar-se- âo a não ser que tenham um estatuto especial.
  • Jorge
    03 jan, 2018 Seixal 17:56
    Atenção pensionistas. O aumento prometido está envenenado, pois vão ficar a receber menos na pensão liquida. Há situações em que a subida de escalão do IRS origina descontos superiores ao do aumento da pensão, ou seja: a pensão aumenta 1.3% mas os descontos para o IRS aumentam 1.5%.