A+ / A-

Patriarca apela à integração dos refugiados

01 jan, 2018 - 14:27

É preciso ajudar a integrar na sociedade “aqueles que nos procuram de fora por razões de pura sobrevivência, porque nas terras de onde provêm não têm paz nem têm pão nem têm sossego nem têm nada”, afirma D. Manuel Clemente.
A+ / A-
D. Manuel Clemente lembra a importância de saber acolher
D. Manuel Clemente lembra a importância de saber acolher

Na Missa da Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus, esta segunda-feira, na paróquia da Benedita, o cardeal patriarca de Lisboa recordou a mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz e pediu que se dê particular atenção aos migrantes e refugiados.

“O nosso querido Papa Francisco para este dia ofereceu-nos mais uma mensagem para o Dia Mundial da Paz. Nesta mensagem, o Papa Francisco diz que devemos olhar assim para aqueles que nos procuram, e alguns de muito longe e alguns muito aflitos”, afirmou D. Manuel Clemente.

Os cristãos têm de ser “os primeiros agentes e colaboradores desta pacificação e também com estas etapas com que o próprio Deus a exerceu no mundo, fazendo-se um de nós em Jesus Cristo, crescendo numa família, alargando-se nesta família a que todos pertencemos – os baptizados -, a família de Deus. E assim, a paz recebida é uma paz oferecida”.

Na sua primeira homilia do ano, o cardeal patriarca defende que é preciso ajudar à integração “daqueles que nos procuram de fora e nos procuram por razões de pura sobrevivência, porque nas terras de onde provêm não têm paz nem têm pão nem têm sossego nem têm nada”.

“Alargando as nossas famílias a esta grande família em que a sociedade se deve tornar, para os de cá e para os que os procuram, nós recebemos a paz, oferecemos a paz e crescemos na paz”, apelou D. Manuel Clemente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • vito
    03 jan, 2018 Lisboa 17:42
    A verdade é que deveria apelar para a ONU resolvesse o problema de desenvolvimento e guerras nesses países.A EU anda a brincar ao fogo porque os que estão contidos na libia,turquia,grécia etc são no mínimo 10 milhões .É metelos no estado do Vaticano.É possível ?Culturas diferentes ou opostas em breve fariam implodir a Europa.Porque se paga á Turquia para os bloquear?A outra forma é construir de raiz um estado plural no planeta como nasceu Israel ,outras soluções são catastróficas,Estado novo controlado é uma das soluções entre muitas outras.
  • Integração????
    03 jan, 2018 dequalquerlado 10:50
    "Patriarca apela à integração dos refugiados" A mesma integração que têm tido os bombistas, camionistas de atropelamentos, simpatizantes do estado islâmico, os mesmos integrantes dos que não se querem integrar que querem fazer dos países que os recebem um estado muçulmano... Mais integração? Leva-os para a tua casa. Talvez quem sabe tenhas a sorte que não te vão ao pescoço. Como se pode integrar estas raças quando eles não querem ser integrados? O problema, para além de todos aqueles que toda a gente sabe é que esta gente cospe no prato de quem os dá de comer. Parem com esta hipocrisia e tenham o bom senso para ver no mal que esta europa se tem tornado ao integrar esta escumalha. Nas vitimas inocentes que perderam a vida, pois, isto tudo pela boa tolerância da igreja e da politica. Basta!
  • Ze Fala Barato
    01 jan, 2018 Bordeaux 20:47
    O patriarca e ou que falam como ele que levem os tefugiados para casa deles e os guardem por la, mostrando assim o exemplo...
  • Antonio
    01 jan, 2018 Aveiro 17:44
    Ele que os meta lá na igreja dele e que os sustente com o dinheiro das esmolas