A+ / A-

Beber e conduzir. Há cada vez mais jovens a morrer na estrada

19 dez, 2017 - 08:16

No ano passado, 15 dos 255 condutores que morreram em acidentes tinham tirado a carta de condução há menos de um ano.
A+ / A-

São cada vez mais os jovens que pegam no carro depois de terem estado a beber.

Em quatro anos, a GNR já apanhou mais de oito mil recém-encartados a conduzir sob influência do álcool, avança o “Jornal de Notícias” nesta terça-feira.

Em 2014, entraram em vigor as novas regras ao Código da Estrada, que impõe regras mais restritivas aos condutores com carta de condução há pouco tempo. Ainda assim, todos os meses, a Guarda Nacional Republicana detecta mais 100 novos casos e cerca de 10% chegam mesmo a acusar a taxa-crime (1,2gr/l).

Só até ao dia 31 de Outubro, a GNR apanhou 1.108 pessoas com menos de três anos de carta a conduzir sob o efeito do álcool – quase tantos quantos ao apanhados em todo o ano passado (1.303) e os quase 1300 de 2014, refere ainda o JN.

A consequência é mais mortes na estrada. Em 2016, de acordo com o último relatório anual da Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária (ANSR), 15 dos 255 condutores que morreram em acidentes rodoviários tinham tirado a carta de condução há menos de um ano.

Em comparação com o ano anterior, verifica-se uma subida de 13 casos (dado que em 2015 houve apenas dois. Por outro lado, baixou o número de feridos graves baixou, de 58 para 50.

Na opinião do presidente da Prevenção Rodoviária, os jovens têm hoje um consumo mais pontual de álcool, mas “em grandes quantidades”.

Em declarações ao jornal, José Miguel Trigoso defende uma aplicação mais eficaz e rápida da lei para que estes comportamentos não se repitam.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • xico
    20 dez, 2017 lixa 12:41
    A segurança na estrada está a trás do volante,ou se é consciente,se se tem civismo,muita atenção e acima de tudo se se sabe conduzir,pois "guiar" parece que toda a gente sabe......
  • miguel
    19 dez, 2017 marcos 18:23
    Se se descobrisse um sistema que para colocar uma viatura em andamento,tinha-se primeiro fazer um "teste" tipo balão ou outro e o sistema dava ordem ao arranque ou não e a viatura ficava imobilizada.Seria viável? é apenas uma ideia de um idiota......
  • Filipe
    19 dez, 2017 évora 14:25
    ... grande desculpa ! E a quantidade de drogas sintéticas , para as depressões e bem estar ou drogas pesadas ? Devem ser os reformados sem carta de condução que esvaziam as Farmácias e traficantes na internet e porta a porta ... Cada vez existe mais gente a conduzir DROGADOS E DROGADAS !
  • Alberto
    19 dez, 2017 FUNCHAL 12:15
    Boa oportunidade para o Governo aumentar mais uma "taxinha" ou Imposto; pelos vistos, dá um resultadão!!!
  • ze
    19 dez, 2017 Carnaxide 09:55
    O que falta em Portugal é fiscalização... Na A1 é só ver maquinas a circular acima dos 200km/h e a brigada de trânsito muitas das vezes a ver TV nas estações... Se seguirem à 1 da manhã vão ver...
  • cambotas
    19 dez, 2017 santarem 08:59
    e querem estes gajos tirar a carta ao velhos, deviam ver e a quem dao cartas conduçao