|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Marcelo aprova projecto de recuperação do claustro da Sé de Lisboa

18 dez, 2017 - 20:09

“Vai ser um sucesso”, disse o Presidente da República durante uma visita realizada esta segunda-feira. Primeira pedra da obra deverá ser lançada no próximo trimestre.

A+ / A-

O património do claustro da Sé de Lisboa não pode ser perdido, afirmou esta segunda-feira o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, durante uma visita ao templo.

Guiado pelo cardeal patriarca Lisboa, D. Manuel Clemente, e pelo arquitecto Adalberto Dias, Marcelo Rebelo de Sousa ficou a conhecer a maquete do projecto de recuperação e gostou do que viu.

Foi rápida a resposta ao convite para voltar ao claustro da Sé e conhecer o projecto, terminado e pronto a ser concretizado. O cardeal patriarca convidou o Presidente da República, no domingo, no encontro que tiveram no almoço da Comunidade Vida e Paz com os sem-abrigo.

Durante a visita desta segunda-feira, Marcelo explicou decidiu ir à Sé de Lisboa e conhecer o projecto do claustro.

“Por questões meramente processuais, uma realidade que está estudada por arqueólogos, tem um projecto de um arquitecto, seguiu um determinado processo, tem meios que é o mais difícil, tem fundos europeus e ainda assim corria-se o risco de perder tudo isso não se concretizando, com uma perda para cidade e para o país, porque é realmente um caso singular com valor cultural, turístico e patrimonial. Não há nada como ver no lugar o que se passa”, referiu.

Marcelo gostou do projecto arquitectónico. “É aquele que mais respeita o aproveitamento do claustro como existia e de tudo o que fica correspondente à camada histórica da vida de Lisboa. Considero muito feliz e até a ideia do atravessamento para que se possa entrar por vários lados e circular. Nem quero imaginar o que isto vai ser turisticamente. Vai ser um sucesso”, frisou.

A pensar nos turistas, nacionais e estrangeiros, o projecto prevê um núcleo arqueológico, que vai permitir visitar as ruínas reveladas quando foram feitas as escavações, explica o arquitecto Adalberto Dias.

“Como a operação vai ser feita em cripta, vamos repor no piso do claustro o jardim que existia”, adiantou o responsável pelo projecto iniciado em 2013.

Marcelo Rebelo de Sousa foi já convidado para a cerimónia da primeira pedra, que deve acontecer no primeiro trimestre do próximo ano, prazo apontado para o início das obras, segundo D. Manuel Clemente.

“A Direcção-Geral do Património diz que poderão começar no próximo trimestre. Há fundos europeus que estão atribuídos e está na altura de começar. Está tudo aprovado, o projecto de arquitectura está feito. Vamos ver”, disse o patriarca.

As obras vão custar à volta de quatro milhões de euros e será financiada por fundos europeus, da Direcção-Geral do Património Cultural e do Cabido da Sé de Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Costa
    19 dez, 2017 Santarem 00:47
    Mas o que tem o PR a ver com uma determinada obra privada???????? Isto é notícia??????