A+ / A-

Médio Oriente. Somália atento a “perigosa decisão” de Trump

07 dez, 2017 - 23:37

Ministério dos Negócios Estrangeiros da Somália pede ao Presidente norte-americano para abdicar da decisão de tornar Jerusalém a capital de Israel.
A+ / A-

O Governo da Somália diz que está a acompanhar de perto a “perigosa decisão” do Presidente Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

“Estamos a instar o Governo dos Estados Unidos a reconsiderar, seriamente, os riscos que esta decisão pode ter no futuro do Médio Oriente e no mundo em geral”, referiu o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Somália.

Na declaração, a Somália também solicita que os “árabes, muçulmanos e outros países” redobrem os seus esforços para encontrar uma solução para a questão da Palestina, de modo a por fim à crise na região.

O documento garante que o Governo da Somália e o seu povo estão preparados para apoiar a luta da Palestina “pelos seus direitos”.

Donald Trump anunciou na quarta-feira que os Estados Unidos reconhecem Jerusalém como capital de Israel e que vão transferir a sua embaixada de Telavive para Jerusalém, contrariando a posição da ONU e dos países europeus, árabes e muçulmanos, assim como a linha diplomática seguida por Washington ao longo de décadas.

Os países com representação diplomática em Israel têm as embaixadas em Telavive, em conformidade com o princípio, consagrado em resoluções das Nações Unidas, de que o estatuto de Jerusalém deve ser definido em negociações entre israelitas e palestinianos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.