A+ / A-

EUA. Senador deixa cargo após queixas de assédio sexual

07 dez, 2017 - 21:05

Al Franken nega acusações e atira-se à oposição.
A+ / A-

O senador e ex-humorista norte-americano Al Franken apresentou esta quinta-feira a demissão do Senado norte-americano depois de ter sido alvo de várias queixas de assédio sexual.

"Anuncio que vou renunciar nas próximas semanas ao meu cargo de membro do Senado dos Estados Unidos", disse Al Franken, de 66 anos, num discurso perante os outros senadores.

No discurso de despedida, Franken "atirou-se" ao partido republicano e a Trump lembrando as acusações contra o Presidente e também contra Roy Moore. "Mais do que ninguém, consigo ver a ironia no facto de eu sair enquanto que um homem que se gabou numa gravação dos seus abusos sexuais está sentado na Casa Branca, e outro homem que atacou adolescentes é candidato ao Senado com total apoio do seu partido."

O antigo humorista negou as acusações, mas referiu que deixou de ter condições para trabalhar como senador do Minnesota porque a sua defesa vai ocupar-lhe muito tempo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.